Santo Antônio e outras geradoras negociam ajuda na crise hídrica

Ações visam entre outras medidas o tratamento mais adequado da dívida das geradoras para que tenham salvaguardas nesse período

A Santo Antônio Energia faz parte de um grupo de geradores que mantém conversas com o poder concedente para buscar medidas que auxiliem as empresas nesse período de crise hídrica. A companhia não revelou quais seria o pleito mas que essas negociações estariam ocorrendo com o governo, com a Aneel e outras instituições que apoiam o setor.

Segundo o diretor presidente da geradora, Daniel Faria Costa, há preocupação das empresas para enfrentar melhor a situação diante da crise. “São diversas ações, inclusive o tratamento mais adequado da dívida dos grandes projetos estruturantes do país. Há sim uma preocupação e interação entre as diversas empresas afetadas para adoção de medidas que tragam salvaguardas nesse período”, comentou ele em teleconferência sobre os resultados da geradora no primeiro semestre de 2021.

A dívida da companhia somava R$ 17,8 bilhões ao final do semestre. No primeiro semestre de 2021, o serviço da dívida foi de R$ 746 milhões, incremento de 91% quando comparado ao mesmo período de 2020, entre os motivos está o incremento do pagamento de juros do BNDES que passou de 50% para 60% e o retorno do pagamento conforme programação original do seu contrato de financiamento junto ao FNO em função da finalização do programa de standstill ocorrido entre abril e dezembro de 2020.

A empresa conta até o momento com um volume de 300 MW médios de energia em seu portfólio para enfrentamento à crise hídrica e o baixo nível do mecanismo de realocação de energia no segundo semestre de 202. Afirmou ainda que continua monitorando o mercado para verificar se há a necessidade de ajustes ao longo desse período e mitigar o volume restante.