Lucro da Neoenergia sobe e fica em R$ 1,3 bilhão no terceiro trimestre

Ebitda teve aumento de 62% no período, fcndo em R$ 2,9 bilhões

A Neoenergia terminou o terceiro trimestre do ano com lucro líquido de R$ 1,3 bilhão. O resultado é 57% superior ao registrado no mesmo período de 2020. As despesas operacionais de R$ 843 milhões no trimestre sinalizam aumento de R$ 11%. O Ebitda de R$ 2,9 bilhões mostra um aumento de 62% em relação ao do terceiro trimestre do ano passado. As despesas operacionais subiram 11%, chegando a R$ 843 milhões. O grupo agora tem 372 mil clientes a mais no trimestre, chegando a 15,7 milhões.

Nas distribuidoras, a Coelba (BA) teve lucro de R$ 481 milhões, 60% a mais que no terceiro trimestre de 2020. Na Neoenergia Pernambuco, o lucro recuou 7%, indo para R$ 96 milhões. Na Cosern (RN), os R$ 36 milhões registrados equivalem a um aumento no lucro de 49% no trimestre. A Elektro (SP) teve lucro de R$ 185 milhões no período, subindo 5%. O lucro líquido da Neoenergia Brasília (DF) ficou em R$ 24 milhões.

Em nove meses, o lucro líquido é de R$ 3,3 bilhões. O capex registrou aumento de 51%, indo para R$ 6,4 bilhões, em virtude do avanço dos projetos de transmissão e eólicas. Já o Ebitda até setembro chegou a R$ 7,4 bilhões. De acordo com o presidente do Grupo Neoenergia, Mario Ruiz-Tagle, os resultados reforçam o caminho planejados para 2021, com foco em performance e eficiência, qualidade do serviço e a realização de investimentos rentáveis. Segundo o executivo, o avanço da vacinação está permitindo a retomada aos escritórios, voltando às atividades presenciais de forma gradual.