ONS: carga desacelera e previsão é de alta de 1,1% em novembro

Vazões esperadas para o final do mês estão acima da média histórica no Sudeste e no Norte

A primeira revisão semanal do Programa Mensal de Operação de novembro mostra uma relativa estabilidade nas projeções apresentadas pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico quando comparados com os números de sete dias atrás. A expectativa de crescimento de carga está em 1,1%. Esse é um leve recuo de 0,3 ponto porcentual ante o esperado inicialmente pelo ONS. Apenas no Sudeste/Centro-Oeste é que se espera retração, de 0,7%. Nos demais submercados a previsão é de alta, sendo 1,3% no Sul, 5,3% no Nordeste e de 4,9% no Norte.

Já as afluências estão em nível semelhante ao da semana passada. No SE/CO e no Norte a energia natural afluente continua acima da média de longo termo, com 104% e 159%, respectivamente. Já no NE é estimada em 66% e no Sul em 58% da MLT.

Em relação ao nível de armazenamento, os reservatórios no SE/CO continuam como os mais baixos, mas é apenas neste submercado que estão em recuperação. No resto do país segue o deplecionamento. A nova projeção para a região que concentra 70% da capacidade de reservação aponta para terminar novembro com 19,2%. Os níveis no NE e no Norte estão em patamar semelhante sendo 35,3% e 34,7%, respectivamente. No Sul estão as projeções mais elevadas com 44,5%.

Com isso, o CMO médio aumentou um pouco em relação à semana operativa que se encerra nesta sexta-feira, 5 de novembro. O valor passou de de R$ 94,09/MWh para R$ 99,64/MWh em todo o país, resultado da carga pesada a R$ 101,27, a média a R$ 100,41 e a leve a R$ 98,41/MWh.

A indicação de despacho térmico caso não houvesse o comando de geração fora da ordem de mérito pela Creg seria de 6.871 MW médios, sendo 2.046 MW médios por ordem de mérito, 4.745 MW médios por inflexibilidade e mais 80 MW médios por restrição elétrica.

De acordo com o ONS, na semana houve precipitação em todas as bacias hidrográficas do SIN, com destaque para as bacias dos rios Grande, Paranaíba, São Francisco e Tocantins, em que os totais observados foram próximos à média semanal. Nas demais bacias do SIN a precipitação foi inferior à média semanal. Já para o próximo período de sete dias, deverá ocorrer precipitação nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, com valores próximos à média semanal. Enquanto isso, no Sul apresentam precipitação abaixo da média semanal.