Prejuízo da Renova recua e fica em R$ 45,1 milhões no terceiro trimestre

Ebitda chegou a R$ 28,6 milhões no período

A Renova Energia teve prejuízo de R$ 45,1 milhões no terceiro trimestre do ano. O resultado negativo é menor que o do mesmo período de 2020, quando o prejuízo chegou a R$ 118,3 milhões. A receita operacional líquida da geradora chegou a R$ 15,3 milhões, recuando 38,6% em relação ao apurado no terceiro trimestre de 2020. O Ebitda da Renova chegou a R$ 28,6 milhões, frente a um índice negativo de R$ 17,4 milhões no mesmo período do ano anterior.

Em nove meses, o prejuízo da Renova ficou em R$ 129,5 milhões, menor que os R$ 222 milhões até setembro de 2020. A receita líquida teve aumento de 30,6%, indo a R$ 63,5 milhões. O Ebitda da Renova até setembro chegou a R$ 17,2 milhões, recuando R$ 43,7 milhões em relação ao ano anterior.

De acordo com a Renova, o prejuízo foi decorrente principalmente ao resultado financeiro negativo consolidado, impactado pelo reconhecimento de juros relacionados aos empréstimos e financiamentos, pelo resultado positivo de equivalência patrimonial, por perdas em contratos de compra e venda de energia da controlada Renova Comercializadora, pelo ganho na alienação da UPI Fase B e por penalidades aplicadas por insuficiência de lastro dos parques do LER 2013 e LER 2014.