CCEE quer certificar energia usada para produção de H2 verde

Intenção é atestar uso de energia limpa no país

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica planeja criar uma certificação para assegurar a origem da eletricidade usada para produção de hidrogênio verde no Brasil. A nova tecnologia promete se tornar, em poucos anos, uma alternativa de combustível limpo, possibilitando uma redução nas emissões de carbono no mundo. A Câmara de Comercialização quer atuar para atestar de quais usinas vem, de fato, esse fornecimento.

De acordo com Rui Altieri, presidente do Conselho de Administração da CCEE, o hidrogênio verde abre espaço para a criação de novos mercados no Brasil, ampliando a posição do país como protagonista neste momento de transição energética. Segundo ele, a CCEE fará todo o esforço necessário para garantir que esse novo segmento cumpra seu propósito ambiental.

Por ter uma visão sistêmica do setor elétrico, a Câmara de Comercialização poderá avaliar os atributos mais diversos em seu processo para assegurar a origem dessa energia, permitindo inclusive que os compradores tenham a opção de selecionar o insumo certificado com menor custo para a produção do hidrogênio e ampliando, assim, a competitividade do Brasil frente aos concorrentes globais.

O interesse está ancorado na expertise da organização em atestar o uso de energia limpa no país. Um exemplo é a parceria da entidade com o Selo Energia Verde, primeira certificação focada na energia produzida a partir do bagaço da cana, concedida em parceria com a União da Indústria de Cana-de-Açúcar – Unica e Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia.

Em outra frente, a CCEE atua no programa REC Brazil, para rastrear fontes e os atributos ambientais, iniciativa coordenada pelo Instituto Totum, com apoio da Abraceel, da Associação Brasileira de Energia Eólica, da Associação Brasileira de Energia Limpa e da Associação Brasileira de Biogás e de Biometano.