Eletrosul conclui incorporação de ativos da TSLE

Movimento soma três linhas em 525 kV e quatro subestações gaúchas ao portfólio da companhia

A CGT Eletrosul aprovou em Assembleia Geral Extraordinária de Acionistas a incorporação total da Transmissora Sul Litorânea de Energia (TSLE), última etapa do processo que autorizou a transferência da concessão dos ativos de transmissão de titularidade da empresa.

A estratégia integra o escopo da iniciativa de racionalização das participações societárias da Eletrobras, nos termos do Plano Diretor de Negócios e Gestão (PDNG 2021-2025). Com a operação a TSLE, constituída com propósito de construir, operar e manter instalações de transmissão arrematadas no Leilão Aneel no 005/2012, deixa de existir.

Três linhas em 525 kV e quatro subestações no Sul do Rio Grande do Sul foram incorporados ao portfólio da companhia, além da conexão dos parques eólicos da região com o Sistema Interligado Nacional (SIN). Abaixo o detalhamento dos empreendimentos.

  • LT Nova Santa Rita – Povo Novo, em 525 kV circuito simples, 268 km;
  • LT Povo Novo – Marmeleiro 2, em 525 kV circuito simples, 152 km;
  • LT Marmeleiro 2 – Santa Vitória do Palmar 2, em 525 kV circuito simples, 48 km;
  • Subestação Povo Novo 2 (525/230 kV) x 672 MVA;
  • Subestação Marmeleiro 2 (525 kV);
  • Subestação Santa Vitória do Palmar 2 (525/138 kV); e
  • Subestação Nova Santa Rita (525 kV), um módulo de conexão da saída da LT 525 kV para Povo Novo.