Prisma Capital e DXT acertam fusão de R$ 1 bilhão através da Matrix Energia

Negócio cria plataforma integrada de geração renovável e distribuição digital de energia

A Prisma Capital e a DXT International anunciaram em comunicado nesta terça-feira, 19 de abril, a celebração de acordo para fusão dos seus negócios de energia no Brasil e criação de uma joint venture por meio da holding Matrix Energy Participações, com capitalização inicial de R$ 1 bilhão. A DXT International, que desde 2018 tem o controle da Matrix, atua em comercialização de energia globalmente por décadas e vem investindo no mercado brasileiro há oito anos. Já a Prisma Capital tem larga experiência em transações estruturadas e track record no mercado brasileiro de geração e transmissão.

O negócio resultante, ainda sujeito às aprovações regulatórias, nasce como uma plataforma integrada de geração renovável e distribuição digital de energia, e contemplará a Matrix Comercializadora, com mais de 1.200 MW med comercializados mensalmente durante os últimos dois anos e faturamento anual de R$ 2,5 bilhões; a GET Comercializadora, com posicionamento estratégico em operações estruturadas; a TRIX, plataforma varejista da Matrix  integrada na distribuição digital para atender mais de 950 pontos de consumo; a Proton GD, plataforma digital de geração distribuída com mais de 15 MWp e pipeline de 100 MWp; e a Proton Energia, empresa de desenvolvimento e implantação de empreendimentos de geração, com 1,5 GW de projetos renováveis aptos a construção a serem comissionados até dezembro de 2026.

A plataforma integrada da Matrix Energia deverá contar com 120 colaboradores, juntando à distribuidora digital um time sênior de desenvolvimento e implantação de ativos de geração de energia renovável, e inclui as unidades de negócio: Atuação no Mercado Livre; Suprimento Próprio; Geração Distribuída; Canais de Distribuição; Originação; Gestão e otimização de portfólio e Inovação.

De acordo com Rubens Misorelli Filho, CEO da companhia, a Matrix Energia acredita firmemente na abertura de mercado e nos inúmeros benefícios para os consumidores. Segundo ele, a abertura de mercado garantirá o direito do consumidor escolher seu fornecedor e buscar eficiência de custos de produção para melhorar a competitividade do país. Para o executivo, a plataforma da Matrix terá um papel importante, fornecendo energia elétrica sem emissão de carbono, eficiente e customizada para seus clientes. Em 2021, a comercializadora foi reconhecida como a terceira  maior distribuidora de certificados renováveis do Brasil.

Na vertical de geração renovável, a plataforma da Matrix contará com a experiência de Rodrigo Alves de Lima, com histórico de implementação de mais 1 GW de capacidade instalada em usinas eólicas e fotovoltaicas. Lima conta que a plataforma nasce com um pipeline de 1,5 GW de capacidade instalada em projetos prontos para construir, altamente competitivos e  eficientes, estrategicamente localizados, que nos darão posição de destaque no universo da geração renovável.

O comunicado ressalta que os futuros acionistas da Matrix Energia têm perfis altamente complementares e mostram credenciais importantes para os planos da companhia que vão além da capacidade financeira.