Carga desacelera e previsão é de alta de 0,4%, aponta ONS

Em nenhum submercado a alta do consumo chega a 1%, no Norte está o mais elevado com 0,8% na comparação com junho de 2021

A primeira revisão semanal do Programa Mensal de Operação para junho mostra uma desaceleração da carga ante o que era projetado na semana passada. A previsão ainda é de alta, mas beira a estabilidade com uma elevação de 0,4%. Em todos os submercados do país deverão ser registrados aumentos, mas nenhum chega a 1% quando comparado ao mesmo mês do ano passado.

Segundo dados do ONS, o maior submercado do país, o Sudeste/Centro-Oeste, deverá apresentar alta de 0,3%, mesmo índice esperado para o Nordeste. Já no Sul a estimativa é de crescimento de 0,4% e no Norte está o maior indicador com 0,8% de expansão.

Apenas na região Sul que a ENA está acima da média histórica com energia natural afluente de 170%. No SE/CO e no NE são esperadas vazões de 67% e de 63%, respectivamente. Já no Norte o volume é equivalente a 78% da MLT.

Ao final de junho, o armazenamento esperado é de 65,3% no SE/CO, o menor entre os quatro submercados. Até porque os demais estão em um patamar acima de 90%, sendo 90,9% no Sul, 91,2% no NE e de 98,8% no Norte.

Com isso, o custo marginal de operação médio para a semana operativa que se inicia no sábado 04 de junho é de R$ 57,89 por MWh em todo o país. A carga pesada em R$ 58,74, a média em R$ 57,97 e a leve em R$ 57,18 por MWh.

A previsão de despacho térmico apresentou uma leve diferença ante a semana passada, são 4.387 MW médios. Sete dias atrás a geração nessa modalidade estava sob a bandeira da inflexibilidade declarada pelas usinas. Nesta há 7 MW médios por restrição elétrica no SE/CO.

De acordo com o IPMO, documento elaborado pelo operador, com esse despacho térmico, indicado pelo modelo Decomp na etapa de programação semanal, o custo de operação esperado para a semana operativa atual é de R$ 202,8 milhões. Já para as próximas semanas do mês, a média do custo de operação esperado é de R$ 179,1 milhões por semana.

(Nota da Redação: Devido às instabilidades sofridas pelo Portal nos últimos dias, essa matéria foi publicada na nossa página do Linkedin. Por isso, estamos republicando nesta sexta-feira, 03 de junho de 2022)