BBF inicia operação das usinas Feijoal e Belém do Solimões

As novas unidades possuem 2.079 kW de potência

A Brasil BioFuels (BBF) iniciou nesta semana a operação das usinas Feijoal e Belém do Solimões, localizadas nas comunidades homônimas, nos municípios de Benjamin Constant (AM) e Tabatinga (AM), respectivamente. As novas unidades possuem, respectivamente, 1.188 kW e 891 kW de potência.

“Antigamente, a geração térmica desses locais dependia do óleo diesel fóssil, produzido no Sudeste e com alto custo de logística. Nós desenvolvemos uma alternativa mais sustentável do ponto de vista econômico, social e ambiental, ao realizar o abastecimento com Biodiesel cultivado e produzido na região Norte”, disse o CEO da Brasil BioFuels, Milton Steagall.

Além dos benefícios do ponto de vista ambiental, as usinas geradoras de eletricidade e a produção do biodiesel contribuem para o desenvolvimento da Região Norte, gerando empregos, renda e empoderando as comunidades no entorno. As usinas de Feijoal e Belém do Solimões estão localizadas integralmente em áreas indígenas, e levam eletricidade e maior qualidade de vida para suas populações.

Com isso, as equipes de operadores das duas usinas são compostas integralmente por indígenas, fazendo com que os empreendimentos também proporcionem desenvolvimento econômico e social na região. “A concentração das etapas produtivas também promove empregos locais e permite que os habitantes atuem na geração de seus próprios recursos. Acreditamos no potencial e na autonomia da região ao criar um modelo de negócios totalmente focado nesses Estados”, ressaltou Steagall.

Além dessas duas operações, a empresa está construindo uma Biorefinaria na Zona Franca de Manaus para aumentar a produção do biocombustível e fornecer diesel verde (HVO) e combustível renovável de aviação (SAF). A previsão de inauguração do novo empreendimento é 2025. Além dos biocombustíveis, a empresa também avança na geração elétrica. “Em breve, vamos atuar também na geração termelétrica em Roraima e no Pará, por meio das novas usinas que estão em processo de implementação nessas regiões”, finalizou o CEO da BBF.