Carga deve crescer 1,5% em 2022, projeta ONS

Para o mês de julho, a estimativa é de alta de 1,7% na comparação com o mesmo período do ano passado, revelou o Operador no primeiro dia de reunião do PMO

A carga de 2022 é projetada em 70.577 MW médios, um crescimento de 1,5% na comparação com 2021. Esse dado foi apresentado pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico no primeiro dia da reunião do Programa Mensal de Operação de julho. Esse volume é 0,3 ponto porcentual menor do que o previsto na 1ª revisão quadrimestral no período 2022 a 2026, que apontava expansão de 1,8%.

No mês de julho o índice inicial é de um crescimento de 1,7% na comparação com o mesmo período de 2021. Já a projeção de agosto aponta para alta de 0,7%.

No maior submercado do país, o Sudeste/Centro-Oeste a expectativa do consolidado do ano é de alta em linha com o volume estimado pela revisão quadrimestral da carga, alta de 1,5% com pouco mais de 40,4 mil MW médios. Considerando julho, a estimativa é de alta de 2,4% e agosto com expansão de 0,5%. Na comparação com junho, valor ainda que precisa de ajustes, houve queda de 1,3%.

Já no sul a projeção anual está em um patamar de expansão significativamente menor do esperado na 1ª revisão quadrimestral. A estimativa é de crescimento de 0,9% ante um cálculo anterior de alta de 1,5%. Em julho e agosto os índices são de crescimento de 1,2% e de estabilidade, respectivamente, quando comparados aos mesmos meses de 2021.

No Nordeste a curva anual segue a tendência verificada no Sul. A projeção é de uma elevação menor do que era projetado anteriormente. Segundo o ONS, a alta em 2022 deve ficar em 0,6% ante um índice de 1,7%. No mês de julho a previsão é de queda de 1,2% e em agosto uma alta de 0,7%.

Por fim, no Norte há uma curva inversa com alto índice de crescimento nos meses de julho e agosto, sendo 4% e 5,2%, respectivamente. Esse comportamento, explicou o Operador deve-se à retomada gradual de carga de apenas um grande consumidor naquela região. Na base anual a estimativa é de alta de 5,8%, um volume 0,6 p.p. acima do estimado anteriormente.