Olá, esse é um conteúdo exclusivo destinado aos nossos assinantes
Para continuar tendo acesso a todos os nossos conteúdos, escolha um dos nossos planos e assine!
Redação
de R$ 47,60
R$
21
,90
Mensais
Notícias abertas CanalEnergia
Newsletter Volts
Notícias fechadas CanalEnergia
Podcast CanalEnergia
Reportagens especiais
Artigos de especialistas
+ Acesso a 5 conteúdos exclusivos do plano PROFISSIONAL por mês
Profissional
R$
82
,70
Mensais
Acesso ILIMITADO a todo conteúdo do CANALENERGIA
Jornalismo, serviço e monitoramento de informações para profissionais exigentes!

Em um ambiente basicamente masculino, as mulheres vem conquistando seu espaço no setor elétrico muitas vezes com cursos e especializações oferecidos por empresas elétricas, que tem por finalidade promover a igualdade de gênero, preparando e aperfeiçoando a mão de obra feminina. A iniciativa visa contribuir com o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS), incluindo a participação feminina nas metas ESG.

Com o propósito de reafirmar o compromisso com a diversidade e a inclusão da mulher no mercado de trabalho e criar oportunidades de capacitação profissional gratuita, a Neoernergia e a Isa Cteep firmaram parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), para oferecer o curso de eletricista para mulheres. As aulas são divididas entre teóricas e práticas, possibilitando uma formação completa para as alunas. Todas as pessoas com idade acima de 18 anos e ensino médio completo podem se inscrever.

Até o momento, a Neoenergia promoveu 13 turmas exclusivas dedicadas a formação de mulheres, que também possuem a oportunidade de se capacitarem em turmas mistas. Além da formação profissional, as novas eletricistas possuem a chance de integrar o quadro de colaboradores da companhia. Segundo Solange Ribeiro, Vice Presidente da Neoenergia, o programa “Escola de Eletricista”, em Brasília, conta com 30% de mulheres na equipe. A executiva participou da vigésima edição do Encontro Nacional dos Agentes do Setor Elétrico (Enase), que aconteceu nesta quinta-feira, 22 de junho.

Solange Ribeiro, Vice Presidente da Neoenergia

De acordo com a empresa, somente neste ano, a Neoenergia atingiu um índice de aproveitamento de 66% dessa​ mão de obra formada pelo curso, que chega a 795 alunas. “Essas eletricistas não se formam só para gente, de maneira geral são formadas para comunidade, ajudamos elas a terem uma profissão”, ressaltou Solange.

Para Gabriela Desirê, Diretora Executiva de Operações da Isa Cteep, que esteve presente na Arena Enase, a representatividade feminina é muito importante para outras mulheres. Com isso, a companhia desenvolveu o projeto “Emprega Mais”, onde foram oferecidas bolsas para mulheres interessadas em seguir carreira de eletricista instaladora, sem necessidade de formação técnica anterior.

Gabriela Desirê, Diretora Executiva de Operações da Isa Cteep.

“Notamos que se investíssemos na formação de mulheres na primeira linha de atuação, linha operacional, onde aconteciam os cursos de menor duração, as mulheres teriam tanto a oportunidade de entrar para nosso corpo profissional, quanto de ter seu primeiro emprego, além de contar com uma remuneração”, destacou Gabriela.

Os próximos passos, segundo Gabriela, já foram dados. A ideia é ampliar a formação para mulheres eletrotécnicas, onde é possível conquistar mais uma etapa, o que significa uma carreira profissional mais ampla e com maior remuneração. “Em julho termina a primeira turma de formação e vamos priorizar a contratação dessas mulheres que se formaram dentro do curso, para as vagas já existentes. Além disso, trazendo a formação do nível eletrotécnico, daremos bolsa de estágio ou jovem aprendiz, para que elas possam ser remuneradas ao longo do período de formação”, encerrou Gabriela.