Olá, esse é um conteúdo exclusivo destinado aos nossos assinantes
Para continuar tendo acesso a todos os nossos conteúdos, escolha um dos nossos planos e assine!
Redação
de R$ 47,60
R$
21
,90
Mensais
Notícias abertas CanalEnergia
Newsletter Volts
Notícias fechadas CanalEnergia
Podcast CanalEnergia
Reportagens especiais
Artigos de especialistas
+ Acesso a 5 conteúdos exclusivos do plano PROFISSIONAL por mês
Profissional
R$
82
,70
Mensais
Acesso ILIMITADO a todo conteúdo do CANALENERGIA
Jornalismo, serviço e monitoramento de informações para profissionais exigentes!

A Comerc anunciou nesta terça-feira, 04 de julho, que possui 2,3 GW de capacidade total de geração de energia renovável no Brasil. Hoje, em geração distribuída, a companha possui cerca de 450 MWp de capacidade total. Além disso, possui um consistente track record de implantação, com 926 MW operacionais em junho de 2023.

No segmento de geração distribuída, a Comerc pretende chegar em 2025 com 150 usinas, sendo 47 usinas operacionais, 56 usinas em implantação e está no ciclo III de crescimento, com mais 47 usinas. A companhia possui mais de 223 MWp em desenvolvimento e mais de 50 mil unidades consumidoras. Durante o Comerc Day, os executivos da companhia destacaram que o aluguel de usinas de terceiros, onde a Comerc GD assume a gestão de créditos da usina (captação, faturamento, atendimento, etc), pretender chegar em 2024 com 294 MWp.

Em geração centralizada, a companhia possui 745 MW de capacidade instalada em operação. Em projetos em implantação, conta com mais de 1.100 MW (Hélio Valgas, São João do Paracatu, Várzea da Palma e Rio do Vento F2). A Hélio Valgas tem previsão de início de operação para esse mês e possui capacidade instalada de 662 MWp, sendo que a subestação e a linha de transmissão já estão 100% concluídas.

Hoje a companhia, já tem 13 MW energizados e acredita possuir muitas oportunidades no seu pipeline. Atualmente está presente em Minas Gerais, Paraná e na área de concessão da CPFL Paulista (SP). Querem entrar em mais 4 estados em 2024 e acreditam possuir muita planta com conexão madura que pode aumentar esse portfolio.

Em comercialização de energia, a Comerc possui uma carteira de contratos futuros de energia a valor presente de R$ 919 milhões no primeiro trimestre de 2023. Com foco nos contratos de longo prazo, a companhia possui cerca de 60% de contratos no portfólio com mais de 4 anos.

Com relação aos resultados financeiros, o vice-presidente financeiro, Fernando Souza Oliveira, destacou que a companhia registrou um crescimento na receita operacional líquida de 25% no 1T23 em relação ao 1T22, registrando R$ 1 bilhão em um único trimestre. Já o lucro bruto corrente aumento 69% no trimestre quando comparado ao mesmo período do ano anterior, com R$ 115 milhões. Segundo o executivo fruto da implementação do plano de negócios.

Mercado Livre de Energia

A Comerc afirmou que avançou de forma consistente na implementação do plano de negócio, através do crescimento da base de clientes, porém não pretende assumir novos ciclos de crescimento nesse momento. Para André Dorf, presidente da companhia, essa discussão por enquanto é inexistente no nível do conselho e diretoria. “Estamos focados em entregar o primeiro ciclo e não temos que falar em novos crescimentos e as condições de mercado estão favoráveis e isso obviamente quando formos discutir um novo ciclo a Vibra vai ter um papel importante nessa decisão”, disse.

A companhia é uma das líderes em gestão de energia para consumidores do mercado livre, com 17% share, com mais de 4,5 mil unidades. E como trading de energia nesse mercado, a companhia registrou 2,8 GWm de volume negociado.

Sobre a abertura de mercado, a Comerc destacou que apesar de falar que acontecerá em janeiro de 2024, ela já começou no início deste ano. Segundo os executivos, eles vem se preparando do ponto de vista tecnológico dos processos e estrutura organizacional. A ideia da companhia não é adaptar o que já faz no atacado para atender ao varejo, pois eles tem comportamentos e canais diferentes e estão estruturando, mas pretendem fazer um roll out de toda a experiência para esse novo mercado.

Durante o Comerc Day, os executivos afirmaram que terão muito mais entregas feitas de forma digital e com isso os processos foram todos analisados. Os sistemas todos já foram mapeados e ajustados para fazer a entrada em operação. Eles destacaram que o mercado vai passar assim como em 2015 por algumas situações que os agentes do mercado podem trazer e isso poderá gerar um atraso na entrada no mercado livre na compra de energia. Contudo destacaram que esses processos também foram já pensados e estão deslizando algumas estratégias tanto dentro de casa para efeito de produto como fora para efeito da compra de energia.

A Comerc pretende capturar clientes de uma forma bem fundamentada. Os executivos afirmaram que os clientes que estão migrando agora ou os que vão migrar a partir de janeiro são um pouco diferente daquele do atacado. Com isso, primeiro eles querem entender quem é esse cliente e do que ele precisa para aí ter uma área de prospecção muito bem definida. E pensando nas unidades de varejo que podem migrar, a Comerc criou uma diretoria específica de varejo para não concorrer com o que já possui, que é o atacado.

Mercado de carbono

Sobre o mercado de carbono, a Comerc acredita que é uma tendência mundial do mercado e estão muito focados em entregar valor também com esse novo business. A companhia hoje já possui o Comerc Impacta, uma plataforma completa de descarbonização. E pretendem ser referência em descarbonização e valor criado por meio de geração renovável e soluções em energia. Os objetivos com a plataforma é o crescimento de EBITDA, a ampliação do market share, o aumento da capacidade de geração com retornos atrativos e a redução emissão carbono de clientes.