Olá, esse é um conteúdo exclusivo destinado aos nossos assinantes
Para continuar tendo acesso a todos os nossos conteúdos, escolha um dos nossos planos e assine!
Redação
de R$ 47,60
R$
21
,90
Mensais
Notícias abertas CanalEnergia
Newsletter Volts
Notícias fechadas CanalEnergia
Podcast CanalEnergia
Reportagens especiais
Artigos de especialistas
+ Acesso a 5 conteúdos exclusivos do plano PROFISSIONAL por mês
Profissional
R$
82
,70
Mensais
Acesso ILIMITADO a todo conteúdo do CANALENERGIA
Jornalismo, serviço e monitoramento de informações para profissionais exigentes!

O ciclone extratropical que começou na quarta-feira (12) se intensificou na madrugada e manhã desta quinta-feira, 13 de julho, causando transtornos em diversas regiões do Rio Grande do Sul e parte de Santa Catarina e Paraná. Até às 12 horas 790 mil unidades consumidoras estavam sem energia elétrica no estado gaúcho, sendo 720 mil clientes da CEEE Equatorial e 75 mil da Rio Grande Energia. A prefeitura de Rio Grande confirmou a morte de uma pessoa na cidade em decorrência do evento climático. Já em SC, a Celesc informou a interrupção da energia para 300 mil UCs, enquanto no PR a Copel fala em mais de 156 mil domicílios afetados, sendo que o número na noite de ontem era de 700 mil.

Segundo a CEEE Equatorial, os temporais acontecem com grande volume de chuva (100 milímetros) e ventania que pode ultrapassar 140 km/h, especialmente na região metropolitana de Porto Alegre, Vales do Sinos, Caí, Paranhana e Serra. Entre as localidades mais afetadas da concessionária estão Pelotas, Porto Alegre, Rio Grande, Tramandaí e Camaquã.

Por se tratar de um fenômeno climático de grandes proporções, a empresa afirmou que os prazos para a solução das ocorrências dependem da complexidade de cada caso. “Algumas situações encontram dificuldades adicionais de acessos em decorrência de alagamentos, impossibilidade de trânsito, necessidade de isolamento de área afetada, retirada de objetos de grande porte que atingiram a rede e reconstrução de postes avariados e de toda a rede elétrica danificada”, diz a nota enviada à imprensa.

Ciclone com ventos médios de 100 km/h concentra-se na região próxima ao litoral (Defesa Civil RS)

Ademais a companhia salientou que segue com seu plano de contingência para minimizar os efeitos do novo evento climático, tendo ampliado toda a estrutura do centro de operações e de seus canais de atendimento, além de disponibilizar mais de 500 equipes para ocorrências. O entendimento é de que o ciclone fez “uma volta” no estado, tendo entrado inicialmente pela região Sul e Campanha, passando ao Centro-Sul e retornando na área Metropolitana e Litoral Norte.

Pelo lado da RGE, 110 mil clientes eram afetados pelo mau tempo nessa manhã, principalmente nas regiões da Serra e Planalto, número que baixou depois para 75 mil. Em nota, a distribuidora ressaltou a mobilização das equipes técnicas para restabelecer o fornecimento aos clientes atingidos no menor tempo possível.