Olá, esse é um conteúdo exclusivo destinado aos nossos assinantes
Para continuar tendo acesso a todos os nossos conteúdos, escolha um dos nossos planos e assine!
Redação
de R$ 47,60
R$
21
,90
Mensais
Notícias abertas CanalEnergia
Newsletter Volts
Notícias fechadas CanalEnergia
Podcast CanalEnergia
Reportagens especiais
Artigos de especialistas
+ Acesso a 5 conteúdos exclusivos do plano PROFISSIONAL por mês
Profissional
R$
82
,70
Mensais
Acesso ILIMITADO a todo conteúdo do CANALENERGIA
Jornalismo, serviço e monitoramento de informações para profissionais exigentes!

O consumo de energia elétrica no Brasil cresceu 1,7% em junho na comparação com o mesmo período do ano passado, chegando a 63.418 MW médios. Segundo a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica, o aumento reflete as temperaturas mais quentes registradas em boa parte do país e o bom desempenho de setores como a extração de minerais metálicos, o comércio e o ramo alimentício. Os dados são do boletim InfoMercado Quinzenal.

No mercado livre houve alta de 1,5% no consumo. Já no ambiente regulado o crescimento foi maior, de 1,8%.

Entre os 15 setores da economia que contam com unidades no segmento livre, sete registraram consumo maior na comparação com 2022. Destaque para extração de minerais metálicos que cresceu 10,8%, comércio com 6% e alimentos com 4,8%. Na outra ponta, têxteis recuou em 4,6% e veículos em 4,4%, sendo estas as maiores quedas.

Na avaliação regional, as maiores altas ficaram concentradas nas regiões Nordeste e Norte, influenciadas por avanços no mercado livre e por temperaturas acima da média registradas no mesmo período do ano passado, cenário que aumenta o uso de equipamentos de refrigeração, como o ar-condicionado. Destaque para o Maranhão onde o consumo disparou 41,7%, no Amazonas em 12,3% e Acre em 11,6%. No mapa abaixo estão os índices verificados em todo o SIN.

Fonte: CCEE