Olá, esse é um conteúdo exclusivo destinado aos nossos assinantes
Para continuar tendo acesso a todos os nossos conteúdos, escolha um dos nossos planos e assine!
Redação
de R$ 47,60
R$
21
,90
Mensais
Notícias abertas CanalEnergia
Newsletter Volts
Notícias fechadas CanalEnergia
Podcast CanalEnergia
Reportagens especiais
Artigos de especialistas
+ Acesso a 5 conteúdos exclusivos do plano PROFISSIONAL por mês
Profissional
R$
82
,70
Mensais
Acesso ILIMITADO a todo conteúdo do CANALENERGIA
Jornalismo, serviço e monitoramento de informações para profissionais exigentes!

A Copel e a CPFL Energia entraram para um novo índice da Bolsa de Valores de São Paulo (B3). Trata-se do IDIVERSA B3, primeiro índice latino-americano composto por empresas que se destacam quanto a diversidade de gênero e raça em seu quadro de colaboradores. O índice foi criado para promover no mercado maior representatividade de grupos de minorias sociais e ampliar a estratégia de uma agenda ESG.

O índice IDIVERSA B3 passou a valer desde a terça-feira, 15 agosto, com uma carteira contendo 75 empresas de dez setores econômicos. E a Copel e CPFL Energia fazem parte.

Entre as características, o índice foi construído com base em dados públicos disponíveis no Formulário de Referência (FRe). Neste ano, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) passou a exigir a apresentação, do número de funcionários e de integrantes dos órgãos de administração e conselhos das companhias agrupados por gênero e raça, nos formulários. A partir desses dados, a B3 calcula uma nota para cada companhia, o Score Diversidade (informação não divulgada pela B3), levando em conta seu setor de atividade. O resultado do score, que é um dos principais critérios para definir a entrada de uma empresa no novo índice, somando a critérios de liquidez, define a seleção das empresas que compõe o índice.