Olá, esse é um conteúdo exclusivo destinado aos nossos assinantes
Para continuar tendo acesso a todos os nossos conteúdos, escolha um dos nossos planos e assine!
Redação
de R$ 47,60
R$
21
,90
Mensais
Notícias abertas CanalEnergia
Newsletter Volts
Notícias fechadas CanalEnergia
Podcast CanalEnergia
Reportagens especiais
Artigos de especialistas
+ Acesso a 5 conteúdos exclusivos do plano PROFISSIONAL por mês
Profissional
R$
82
,70
Mensais
Acesso ILIMITADO a todo conteúdo do CANALENERGIA
Jornalismo, serviço e monitoramento de informações para profissionais exigentes!

As cadeias de suprimentos globais estão à beira de uma transformação revolucionária à medida que as demandas de clientes, recursos e liderança de negócios se desenvolvem. Priorizar a sustentabilidade e a agilidade da cadeia de suprimentos será a chave para garantir vantagem competitiva na indústria nuclear, aponta o The World Nuclear Supply Chain Report 2023.

A edição desse ano descreve as principais áreas de consideração e sucesso para fornecedores nucleares experientes e aqueles que buscam entrar no mercado. E o foco é a dinâmica da cadeia de suprimentos para reforma de reatores para dar suporte à operação de longo prazo (LTO), nova construção de reatores modulares de grande escala e pequenos reatores (SMRs), incluindo avançados e microrreatores.

Segundo o relatório, a capacidade da indústria nuclear de aproveitar as oportunidades do atual dilema energético dependerá de vários fatores, incluindo a capacidade da indústria de construir e equipar centenas, e potencialmente milhares, de usinas nucleares de forma eficiente. Para garantir que a cadeia de suprimentos internacional seja adequadamente robusta, competitiva e adaptável para atender à necessidade prevista de operação de longo prazo e nova construção nuclear, a Associação Nuclear Mundial identificou algumas ações.

Entre elas, promulgar políticas governamentais ousadas e pragmáticas de mercados de energia sinalizando apoio de longo prazo para infraestrutura de energia nuclear limpa, para incentivar o investimento em projetos nucleares e no dimensionamento correto de sua cadeia de suprimentos nuclear. O investimento na capacidade e capacidades da cadeia de suprimentos será essencial para minimizar quaisquer possíveis gargalos.

Além disso, acelerar abordagens simplificadas para licenciar usinas nucleares para incentivar o desenvolvimento de frotas internacionais de reatores padrão. Isso permitirá uma cadeia de suprimentos global mais forte e uma base de conhecimento.

O relatório também apontou a questão dos regulamentos técnicos nacionais e os requisitos do fornecedor, quando apropriado ser harmonioso. Aumentar a colaboração regulatória e do setor para garantir que as atividades de licenciamento e supervisão da cadeia de suprimentos sejam simplificadas e não sejam duplicadas desnecessariamente em projetos.

Otimizar e simplificar os modelos de aquisição para permitir que os fornecedores tenham uma maior linha de visão das propostas e para permitir que eles participem de ofertas de projetos. Também aproveitar a experiência do setor e a análise de projetos recentes de construção de usinas nucleares globais para se tornar uma linha de base para o desenvolvimento de uma cadeia de suprimentos nuclear robusta e ágil, incluindo códigos de conduta e melhores práticas que podem ser usados por vários vendedores e fornecedores.

Além disso, fornecer mecanismos para demonstrar a adequação de itens industriais de alta qualidade para aplicações classificadas de segurança em usinas nucleares. O relatório mostra que é necessário educar a comunidade financeira sobre a sustentabilidade da energia nuclear e sua cadeia de suprimentos, incentivando as empresas da cadeia de suprimentos nuclear a incorporar os princípios ESG em sua cadeia de suprimentos. Os licenciados devem garantir que práticas, códigos e padrões apropriados sejam incorporados em toda a cadeia de suprimentos.

Entre os pontos de destaque no relatório está a questão de promover programas governamentais ou públicos/privados de pesquisa e inovação para acelerar a adoção de tecnologias facilitadoras na indústria nuclear, como robótica, IA, serviços digitais, manufatura avançada e serviços de construção modular. Aumentar o investimento em instalações de teste necessárias para a validação do equipamento do reator.

Por fim, o relatório mostra que a energia nuclear oferece uma oportunidade para descarbonizar toda a economia de maneira econômica e equitativa. “Entregar a expansão da energia nuclear para atingir metas líquidas zero, segurança energética e desenvolvimento sustentável na velocidade e com a escala necessária exigirá um investimento sustentado e coordenado na cadeia de fornecimento nuclear global”.