Olá, esse é um conteúdo exclusivo destinado aos nossos assinantes
Para continuar tendo acesso a todos os nossos conteúdos, escolha um dos nossos planos e assine!
Redação
de R$ 47,60
R$
21
,90
Mensais
Notícias abertas CanalEnergia
Newsletter Volts
Notícias fechadas CanalEnergia
Podcast CanalEnergia
Reportagens especiais
Artigos de especialistas
+ Acesso a 5 conteúdos exclusivos do plano PROFISSIONAL por mês
Profissional
R$
82
,70
Mensais
Acesso ILIMITADO a todo conteúdo do CANALENERGIA
Jornalismo, serviço e monitoramento de informações para profissionais exigentes!

Com um investimento da ordem de R$ 155 milhões, um projeto vai garantir novos avanços na interiorização do gás natural na Bahia e em outras regiões do Nordeste. Parceria Público-Privada entre a Petrobahia, a GNLink e a Bahiagás. A nova planta de liquefação e compressão de gás natural está prevista para entrar em operação no terceiro trimestre de 2024, em Itabuna, no sul do estado.

O empreendimento terá capacidade de 98 mil m³/dia de gás natural e vai gerar empregos com a contratação de mão de obra direta e indireta, além da arrecadação de tributos e novas divisas para a comercialização do gás natural na Bahia. Todos os equipamentos já estão em fabricação para essa implementação do acordo, que ainda conta com a expertise em logística da Transbahia Transportes e com o apoio institucional da prefeitura de Itabuna.

A proposta da parceria é que a GNLink compre o gás natural da Bahiagás, invista, opere e mantenha as unidades de processamento e distribuição do GNL e Gás Natural Comprimido. Já a Petrobahia será responsável pela logística, juntamente com a Transbahia, e ainda utilizará o gás natural para ampliar a sua rede de postos com Gás Natural Veicular pela Bahia.

Para o CEO da GNLink, Marcelo Rodrigues, este é o pontapé para a interiorização do gás baiano. De acordo com ele, o projeto propiciará a antecipação no fornecimento de gás natural da Bahiagás para regiões fora da malha dutoviária, assim como a oferta do produto em diversas cidades importantes do interior da Bahia e em outros estados do Nordeste.

O contrato também é considerado estratégico para a Bahiagás, uma vez que o gás natural poderá ser comercializado em localidades ainda não atendidas pela sua rede de dutos, sendo possível antecipar o atendimento à Vitória da Conquista e Juazeiro, dentre outros municípios, ampliando a oferta de gás no Estado. De início, o gás natural chegará até Vitória da Conquista e Jequié, pelo trecho do gasoduto rumo ao sudoeste baiano, mas também contemplará o oeste da Bahia, carente de energia e de um combustível mais limpo como o gás natural, e ainda para o extremo-norte do Estado, beneficiando um importante polo de fruticultura regional.

Atestado pela Concessionária Estadual, este será o primeiro projeto de liquefação de gás natural oriundo de gasoduto no Nordeste. A implantação deverá acontecer de acordo com as seguintes etapas:

1-A GNLink compra o gás natural da Bahiagás, investe, opera e mantém todos os equipamentos necessários, com investimento na ordem de R$ 125 milhões;

2-A Petrobahia fará a logística e utilizará o gás natural para ampliar a sua rede de postos com GNV no Estado da Bahia, com investimento na ordem de R$ 30 milhões;

3-Com a recente Chamada Pública para interiorizar o gás natural em 10 cidades do Estado, lançada pela Bahiagás, o projeto poderá suportar esta iniciativa em cidades como: Barreiras, Luís Eduardo Magalhães, Juazeiro, Linha Verde, Eunápolis, Santo Antônio de Jesus, Itapetinga, Porto Seguro, Vitória da Conquista e Teixeira de Freitas.