Olá, esse é um conteúdo exclusivo destinado aos nossos assinantes
Para continuar tendo acesso a todos os nossos conteúdos, escolha um dos nossos planos e assine!
Redação
de R$ 47,60
R$
21
,90
Mensais
Notícias abertas CanalEnergia
Newsletter Volts
Notícias fechadas CanalEnergia
Podcast CanalEnergia
Reportagens especiais
Artigos de especialistas
+ Acesso a 5 conteúdos exclusivos do plano PROFISSIONAL por mês
Profissional
R$
82
,70
Mensais
Acesso ILIMITADO a todo conteúdo do CANALENERGIA
Jornalismo, serviço e monitoramento de informações para profissionais exigentes!

O ONS finalizou e divulgou na última quarta-feira, 18 de outubro, a versão final do Relatório de Análise de Perturbação, relativo a ocorrência no Sistema Interligado Nacional no dia 15 agosto de 2023. O documento confirma o resultado apresentado aos agentes no dia 25 de setembro, com a minuta do RAP. A principal causa foi a performance em campo dos equipamentos de controle de tensão de vaias eólicas e solares no perímetro da LT Quixadá-Fortaleza II, no Ceará. Esses dispositivos deveriam ter que compensar automaticamente a queda de tensão por conta da abertura da LT, mas o desempenho quando tudo aconteceu ficou abaixo do previsto nos modelos usados pelo operador.

O relatório tem mais de 600 páginas, a participação dos agentes foi intensa e houve uma espécie de mobilização. O documento detalha desde como se o sistema estava sendo operado antes da perturbação e o que aconteceu após seu início. De acordo com o ONS, esse é o RAP com o maior número de providências cadastradas e o operador também agradeceu a todos os profissionais que se dedicaram ao relatório e reforçou que esse trabalho realizado traz novas perspectivas para a gestão do setor e recomendações em alinhadas coma s transformações que a operação tem experimentado.

Um ponto que o RAP enumera são as providências que foram tomadas pelo ONS após essa perturbação, em que até que a performance em campo dos parques esteja corretamente caracterizada nos modelos matemáticos, o operador adaptou a sua base de dados para representar a performance dos referidos parques tal como observada em campo durante a perturbação, de modo a utilizá-la nos
estudos de caráter operativo.

O relatório também salienta que o desempenho em campo dos parques aerogeradores e fotovoltaicos foi aquém do representado pelos modelos matemáticos disponibilizados pelos agentes ao ONS e o Operador implementou novos limites de intercâmbios e medidas operativas na região Nordeste, visando garantir a segurança operativa do SIN.

O ONS encaminhou à Agência Nacional de Energia Elétrica NEEL, no âmbito da Tomada de Subsídios, no âmbito da Tomada de Subsídios 13 / 2023, proposta de revisão do Submódulo 7.4, novos procedimentos para emissão da Declaração de Atendimento aos Procedimentos de Rede, om objetivo de assegurar reprodução do desempenho dos modelos matemáticos em comparação com o comportamento em campo dos equipamentos, durante o processo de integração de novas usinas quanto em todo o ciclo de vida.