Olá, esse é um conteúdo exclusivo destinado aos nossos assinantes
Para continuar tendo acesso a todos os nossos conteúdos, escolha um dos nossos planos e assine!
Redação
de R$ 47,60
R$
21
,90
Mensais
Notícias abertas CanalEnergia
Newsletter Volts
Notícias fechadas CanalEnergia
Podcast CanalEnergia
Reportagens especiais
Artigos de especialistas
+ Acesso a 5 conteúdos exclusivos do plano PROFISSIONAL por mês
Profissional
R$
82
,70
Mensais
Acesso ILIMITADO a todo conteúdo do CANALENERGIA
Jornalismo, serviço e monitoramento de informações para profissionais exigentes!

O Grupo Comerc Energia realizou o evento de inauguração do complexo solar Hélio Valgas, em Várzea da Palma (MG). O ativo possui 662 MWp de potência instalada. O investimento na usina foi de cerca de R$ 2 bilhões, de acordo com a companhia.

Para fins de comparação, o complexo solar tem capacidade o suficiente para abastecer uma cidade de 800 mil residências ou cerca de 3 milhões de pessoas. Hélio Valgas está instalado em uma área de 1.154 hectares.

Com a adição de mais este ativo em seu portfólio, a vertical de Geração Centralizada Solar da Comerc elevou sua capacidade instalada para 1.178 MWp. Somando-se a capacidade instalada de geração eólica, a empresa, que nasceu como uma comercializadora no início dos anos 2000, agora conta com 1.458 MW no total. Somando geração centralizada e distribuída o Grupo Comerc Energia atingiu 1.681 MW de capacidade em operação. A empresa conta com mais 501 MW adicionais em implantação ou em desenvolvimento previstos para 2024.

O complexo está com quase a totalidade de sua capacidade produtiva alocada para a Liasa, companhia nacional que é uma das maiores produtoras de Sílico Metálico da América Latina, e que busca sua transição energética por meio de uma fonte de energia mais econômica, confiável e sustentável. A usina está energizada desde agosto, mas continua em ramp up – aumento de sua produtividade antes de atingir seu pico de geração – e em setembro já foi capaz de produzir 119 GWh, o suficiente para abastecer uma cidade do tamanho de Curitiba, com 1,8 milhão de habitantes.

André Dorf, CEO do grupo, destacou que esse ramp up está acelerado devido à experiência acumulada em outros projetos solares de grande porte, somada à qualidade dos equipamentos e do processo construtivo.