Olá, esse é um conteúdo exclusivo destinado aos nossos assinantes
Para continuar tendo acesso a todos os nossos conteúdos, escolha um dos nossos planos e assine!
Redação
de R$ 47,60
R$
21
,90
Mensais
Notícias abertas CanalEnergia
Newsletter Volts
Notícias fechadas CanalEnergia
Podcast CanalEnergia
Reportagens especiais
Artigos de especialistas
+ Acesso a 5 conteúdos exclusivos do plano PROFISSIONAL por mês
Profissional
R$
82
,70
Mensais
Acesso ILIMITADO a todo conteúdo do CANALENERGIA
Jornalismo, serviço e monitoramento de informações para profissionais exigentes!

No ano de 2023, o Brasil exportou 843 MW médios para a Argentina e Uruguai, segundo dados da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). A venda gerou um benefício de R$ 886 milhões para o país e esse recurso ajuda a diminuir o custo de produção nas hidrelétricas e consequentemente reduzem impactos na tarifa dos consumidores brasileiros.

De acordo com presidente do conselho de administração da CCEE, Alexandre Ramos, a demanda dos mercados argentino e uruguaio combinou com um cenário bastante positivo para o Brasil, com reservatórios que se recuperaram no período úmido. A negociação com os países vizinhos foi favorecida pela implantação do procedimento competitivo para a exportação de vertimento turbinável (EVT), uma operação coordenada pela CCEE, ONS, com aval do Ministério de Minas e Energia (MME).

O EVT comercializa energia elétrica produzida a partir da água que seria liberada pelas comportas dos geradores hídricos, um procedimento comum em cenários hidrológicos favoráveis, como o atual. A operação foi lançada em outubro de 2022, com base na Portaria Normativa nº 49/2022 do MME.