A Agência Nacional de Energia Elétrica definiu durante reunião realizada nesta terça-feira, 16 de abril, em 1,53% o efeito médio do reajuste da Coelba (BA) para os consumidores. O impacto na alta tensão será de 1,28%, enquanto na baixa tensão, ficará em 1,62%. A nova tarifa passa a ser aplicada a partir do próximo dia 22 de abril.

A Coelba tem cerca de 6,6 milhões de unidades e receita de R$ 13,6 bilhões em 2023, quando seu reajuste foi fixado em 8,18%. Este ano, os itens da parcela A registraram um aumento de 4,75%. Já a parcela B teve um recuo de 2,4% e os componentes financeiros com participação negativa de 1,18 %. Na composição com tributos, os custos com a distribuição ficam com 29,1%, sendo seguidos pelos custos com energia, com 28,7%. O ICMS compõe 21,2% e o PIS/Cofins, 4,6%.