A Assembleia Geral Ordinária da Petrobras elegeu Pietro Mendes para a presidência do Conselho de Administração. Mendes é secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia. Mendes chegou a ser suspenso do comando do CA por uma decisão da Justiça, mas que acabou revogada. A alegação era de descumprimento de requisitos do Estatuto Social da companhia no processo de indicação.

A AGO também aprovou o ajuste da proposta original da administração quanto à destinação do resultado de 2023, com a distribuição de 50% do lucro líquido remanescente, mantendo a proposta de pagamento da remuneração remanescente aos acionistas, relativa ao exercício de 2023, em parcelas em maio e junho.

Na assembleia, também foram eleitos oito membros do Conselho de Administração através de voto múltiplo. Bruno Moretti, Jean Paul Terra Prates, José João Abdalla Filho, Marcelo Gasparino da Silva, Pietro Adamo Sampaio Mendes, Rafael Ramalho Dubeux, Renato Campos Galuppo e Vitor Eduardo de Almeida Saback.

Em eleições em separado para as outras três vagas restantes no CA, o nome de Francisco Petros Oliveira Lima Papathanasiadis foi eleito pelos acionistas minoritários detentores de ações ordinárias. Os acionistas detentores de ações preferenciais elegeram Jerônimo Antunes, enquanto Rosangela Buzanelli Torres foi a escolhida pelos empregados da estatal.