A CPFL Piratininga (SP) pretende investir mais de R$ 2,6 bilhões na sua área de concessão até 2028. A distribuidora investiu nos últimos três anos mais de R$ 400 milhões no sistema elétrico da região da Baixada Santista. Ao somar os recursos destinados a todos os 27 municípios onde a companhia atua, os aportes chegaram a R$ 400 milhões no ano passado. Durante 2023, só em Santos e outras quatro cidades da região, cerca de R$ 138 milhões foram aplicados em obras e iniciativas com foco na modernização e expansão da rede. Em 2023, foram aplicados cerca de R$ 83 milhões em ações em Santos para dar suporte ao crescimento de mercado.

De acordo com Carlos Zamboni Neto, diretor-presidente da CPFL Piratininga, foram introduzidos novos equipamentos e as estruturas foram modernizadas. Ele conta que foram estimulados negócios e a permanência de indústrias na região, que abriga o maior porto da América Latina em Santos, assim como o Polo Industrial Petroquímico em Cubatão, que desempenham um papel importante para a economia do estado de São Paulo.

Os investimentos contínuos e consistentes realizados pela distribuidora tem sido fundamentais, principalmente frente ao cenário de mudanças climáticas que vem se agravando nos últimos anos. Segundo Zamboni, no ano passado, os eventos climáticos desafiaram, mas foi provado que a companhia segue dedicada a aprimorar os serviços diariamente, trabalhando com foco em entregar excelência e segurança ao sistema elétrico, especialmente em situações de contingência. Além Santos e Cubatão, cidades como Praia Grande também receberam investimentos significativos da concessionária.