A Serena Energia registrou um prejuízo líquido de R$ 104 milhões no primeiro trimestre de 2024, uma alta de R$ 20 milhões em relação ao 1T23, quando apresentou um prejuízo de R$ 84 milhões. O aumento ocorreu principalmente devido à sazonalidade do portfólio e a uma variação nas despesas financeiras e no ebitda.

Já a produção de energia da companhia no trimestre foi de 1.950,9 GWh, um aumento de 8% em relação ao mesmo período de 2023. O lucro bruto de energia totalizou R$ 524,6 milhões, o que representa um crescimento de 28%.

O ebitda ajustado alcançou R$ 367 milhões, um aumento de 29% em relação ao primeiro trimestre de 2023, mantendo a companhia em sua trajetória de redução de endividamento após a conclusão do maior programa de investimentos da sua história – R$ 4,5 bilhões investidos em 2022 e 2023 nas expansões do complexo Assuruá na Bahia, e de Goodnight 1 no Texas, que adicionaram 721 MW à capacidade instalada da Serena.

Vale destacar que a companhia também concluiu, em 28 de março de 2024, uma troca de ativos com a EDFR, anunciada em julho de 2023, passando a deter 100% do Complexo Eólico Ventos da Bahia (364,1 MW). Com tal transação, a capacidade instalada da Serena aumentou em 21,6 MW, totalizando 2.704,8 MW.

Em sua frente de investimentos em geração distribuída, houve bom progresso tendo a companhia iniciado a construção de 35 usinas em diferentes regiões o Brasil, que entrarão em operação até 2025.

Projeções de ebitda para 2024

A Serena também informou que realizou a atualização das projeções de ebitda ajustado para o período findo em 31/12/2024. A projeção do intervalo ebitda ajustado ficou entre R$ 1,7 bilhão e R$ 2,1 bilhões. E o centro ebitda ficou em R$ 1,9 bilhão.