Revisão da Bragantina vai resultar em aumento de 1,84%

Distribuidora da Energisa terá como desafio a recuperação do DEC nos próximos cinco anos

A Empresa Elétrica Bragantina terá aumento médio de tarifas de 1,84% médio, com efeito médio de 2,06% para os consumidores atendidos em alta tensão e de 1,68% para aqueles conectados em baixa tensão. Os índices refletem o resultado da revisão tarifária da distribuidora. As novas tarifas serão aplicadas a partir de 10 de maio.  

A Aneel também estabeleceu os limites dos indicadores DEC e FEC – que medem a duração e a frequência das interrupções no fornecimento de energia –  para o período de 2017 a 2021. Segundo a Aneel, a empresa  do grupo Energisa vinha em trajetória de redução dos indicadores entre 2012 e 2014. Em 2015, houve piora acentuada no DEC, e o desafio da empresa será a recuperação desse indicador nos próximos cinco anos.