Subestação da CEEE-D vai duplicar atendimento na capital gaúcha

SE Porto Alegre 5, que recebeu R$ 26,8 milhões, deve entrar em operação em março e será telecomandada

A nova subestação Porto Alegre 5 recebeu no último sábado, 16 de janeiro, 26,5 toneladas de novos equipamentos com tecnologia Gas Insulated Switchgear, isolada a gás SF6. O empreendimento que está sendo construído pela CEEE-D tem previsão para entrar em operação em março e vai duplicar a capacidade de atendimento para 13 bairros da capital. A próxima etapa do trabalho é a montagem da subestação e a instalação dos dois transformadores – com 50 MVA de potência cada um, que também já estão na Companhia. O investimento da distribuidora nesse empreendimento, que utiliza soluções de engenharia da empresa Altus Sistemas de Informática, é de R$ 26,8 milhões.

Segundo o diretor de distribuição do Grupo CEEE, Júlio Hofer, que acompanhou o trabalho no local, essa é uma das obras mais importantes do plano de investimentos da CEEE Distribuição. A SE Porto Alegre 5 irá operar com a mesma tecnologia de ponta já utilizada na unidade da empresa existente no bairro Menino Deus, em Porto Alegre. Essas subestações são telecomandadas e possuem controles modernos, que possibilitam um gerenciamento à distância a partir do Centro de Operação da Distribuição da empresa. A tecnologia proporciona maior segurança de operação, baixa manutenção e compactação de espaço para instalação das máquinas. Além disso, por serem colocadas em prédios fechados, todo ruído acústico e impacto visual são eliminados.

Nessa região da Subestação Porto Alegre 5, outras melhorias no sistema de distribuição estão sendo feitas pela CEEE Distribuição. Uma dessas ações que envolveu um investimento de R$ 830 mil incluiu a instalação de 18 religadores junto às redes das ruas Quintino Bocaiúva, Miguel Tostes, Engenheiro Teixeira Soares, 24 de Outubro, Silva Jardim, Florêncio Ygartua, Castro Alves, Ramiro Barcelo, Mostardeiro, Passo da Pátria e Protásio Alves. Esses equipamentos são operados de forma remota pelo Centro de Operação, permitindo um melhor gerenciamento do sistema elétrico da Companhia. O processo reduz o tempo de desligamento e a abrangência da interrupção, especialmente em momentos de contingência.

Hofer destaca ainda que as novas subestações Aeroporto, Porto Alegre 7, Porto Alegre 15 e Rincão, que envolvem investimentos na ordem de R$ 100 milhões, fazem parte do programa de obras da empresa para melhorar a qualidade do fornecimento da energia elétrica às regiões Leste, Norte e Sul.