CMSE mantém risco zero pelo quarto mês consecutivo para SE/CO

Avaliação vem desde agosto quando o comitê autorizou o desligamento das 21 térmicas mais caras

Pelo quarto mês consecutivo, o risco de qualquer déficit de energia nas regiões Sudeste/Centro-Oeste e Nordeste foi considerado zero pelo Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico. A avaliação leva em conta o desempenho do sistema utilizando as 82 séries do histórico de vazões, o acionamento de usinas termelétricas por ordem de mérito e o despacho de térmicas com Custo Variável Unitário até R$600/MWh.

Em nota divulgada nesta quarta-feira, 4 de novembro, o CMSE destaca que em novembro "as condições de suprimento de energia do Sistema Interligado Nacional se mantiveram estáveis em relação ao mês anterior." O comitê realizou hoje sua reunião mensal de avaliação das condições de operação do sistema eletrico.

O risco de faltar energia nas três regiões passou a ser considerado inexistente desde o mês de agosto, quando o comitê autorizou o desligamento das 21 termelétricas com CVU acima de R$ 600/MWh, que representavam custo adicional para o sistema de R$ 5,5 bilhões. Em outubro, segundo a nota divulgada pelo Ministério de Minas e Energia, predominaram chuvas acima da média nas bacias da região Sul e do rio Paranapanema e abaixo da média nos subsistemas Sudeste/Centro-Oeste e Nordeste. As afluências ficaram em 231% da média no Sul; 93% no SE/CO; 29% no NE e 59% no Norte.

O comitê destaca a existência de sobra estrutural em torno 9.359 MW médios para atender a carga prevista,com a inclusão de usinas que entrarão em operação nos próximos meses. Desde janeiro, foram acrescentados ao sistema 4.436 MW de potência instalada, do total de 6.410 MW previstos para 2015.