Celesc assina acordo de cooperação técnica com grupo italiano de energia

Parceria é voltada para realização de projetos de eficiência energética

A Celesc assinou um acordo de cooperação técnica com o grupo italiano Dolomiti Energia para desenvolvimento de projetos e prospecção de novos negócios nas áreas de eficiência energética e geração distribuída. Este é o primeiro acordo internacional firmado pela companhia. O termo foi assinado pelo governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, pelo presidente da Celesc, Cleverson Siewert, pelo governador da Provincia Autonoma Di Trento, Ugo Rossi, e pelo presidente da empresa Dolomiti, Rudi Oss.

Com o termo firmado com o grupo italiano Dolomiti Energia, o primeiro projeto a ser implementado é a instalação de placas fotovoltaicas nos edifícios-sede da Polícia Federal, da Fiesc, do IFSC e do C-Pack. A partir da instalação das placas, será medido o potencial de captação solar e eficiência dos equipamentos que são produzidos pela própria Dolomiti. O segundo trata de parceria para teste de tecnologia de monitoramento remoto e utilização de lâmpadas de led na iluminação pública. O terceiro diz respeito a estudos para desenvolvimento de projetos de urbanização primária, com planejamento articulado e instalação integrada para disponibilizar serviços públicos de energia elétrica, água, saneamento e gás natural.

“A Celesc atua muito em distribuição de energia, mas desde 2011 procuramos transformar o perfil da companhia, com mais geração e transmissão. E para isso, essas novas experiências que estamos construindo têm sido fundamentais", explicou o presidente da Celesc. O grupo Dolimiti é uma estatal controlada pelo Governo da Província Autônoma do Trento que iniciou sua trajetória empresarial como distribuidor de energia. Com o crescimento dos negócios e diversificação das atividades, passou a ser responsável também pelos serviços de geração de energia, distribuição de gás natural, fornecimento de água, saneamento e iluminação pública para a província.
 
Este acordo é o primeiro no qual a Secretaria de Assuntos Internacionais atua como interveniente após revisão do decreto que determina que protocolos, contratos, convênios e cooperações internacionais, firmados por órgãos e entidades ligadas ao Poder Executivo, sejam assinados em parceria com a SAI.