Efeito médio do reajuste da Copel será de 15,32%

Na Cocel, aumento médio na tarifa vai ser de 19,86%

Os consumidores da Copel terão um reajuste médio de 15,32% nas suas contas. O valor foi definido em reunião da Agência Nacional de Energia Elétrica realizada nesta terça-feira, 16 de junho. O reajuste, que vale a partir do próximo dia 24 de junho, vai ter um impacto para os consumidores da alta tensão, de 15,32%. Para os da baixa tensão, fica em 15,09%.
 
Nos fatores que compõem o efeito médio de reajuste da tarifa, destaca-se a atualização dos componentes financeiros, que foi de 20,58%. A atualização dos custos das parcelas A e B foi negativa em 2,91% e a retirada de componentes financeiros foi de -2,35%. A Copel tem 4,3 milhões de unidades consumidoras e teve faturamento de R$ 7,2 bilhões em 2014. Nesse ano, seu reajuste médio foi de 30,78%.
 
A demanda da Copel foi suprida pela energia vinda de projetos estruturantes, como as usinas do Madeira, e por cotas de usinas renovadas. Essas usinas tem um valor bem mais baixo, o que aliviou os custos de compra. Em contraponto, o aumento na energia de Itaipu impactou no resultado, como os contratos de energia térmica. 

A Aneel também definiu o reajuste da Cocel (PR). O efeito médio será de 19,86%. Na alta tensão, o impacto será de 20,56% e a baixa tensão, ele será de 19,04%.