Perdas hidráulicas de Jirau serão recalculadas pela EPE

Decisão da Aneel pode resultar em aumento da garantia fisica da usina na faixa de 60 MW médios

A Agência Nacional de Energia Elétrica reconheceu a necessidade de revisão das perdas hidráulicas da hidrelétrica de Jirau (3.300 MW- PA) e decidiu encaminhar o processo ao Ministério de Minas e Energia para que a Empresa de Pesquisa Energética recalcule o valor e revise a garantia física da usina. A decisão pode resultar em ganho para o empreendimento da ordem de 60 MW médios em energia disponível para comercialização. 

O pedido de alteração do nível de perdas foi apresentado pela Energia Sustentável do Brasil, proprietária da usina. A ESBR solicitou que a perda de carga no circuito hidráulico de geração das duas casas de força da usina fosse ajustada de 0,44 m para 0,15m, e que esse dado fosse encaminhado ao MME para revisão da garantia fisica. A agência decidiu, porém, que o valor a ser definido pela EPE será intermediário entre o pleiteado pela empresa e o calculado no projeto.

No pedido, a geradora solicitou a aplicação de critérios idênticos aos usados na definição das perdas da UHE Santo Antônio, com o argumento de as unidades geradoras dos dois empreendimentos são similares. Em visita técnica ao fabricante das máquinas, tecnicos da Aneel concluíram, porém, que há diferenças entre os projetos. Segundo o relator do processo, Reive Barros, o investimento da Santo Antônio Energia foi maior e, com isso as perdas hidráulicas da UHE Santo Antonio são 60% menores que as de Jirau.