Rosatom quer construir nuclear na Argentina

Rússia e Argentina assinaram memorando de entendimento nesta quinta-feira, 23

Rússia e Argentina assinaram um memorando de entendimento na última quinta-feira, 23 de abril, com a intenção de construir a sexta unidade nuclear Atucha (1.200 MW), em território argentino. O desejo é que o mais breve possível seja assinado um acordo intergovernamental sobre a construção da usina.

Segundo o CEO da estatal de energia nuclear russa Rosatom, Sergey Kirienko, este documento já está em andamento. "Na Argentina, oferecemos as mais recentes tecnologias de energia atômica, que cumprem plenamente os requisitos modernos de segurança nuclear com elevada eficiência. Estou confiante de que o acordo será mutuamente benéfico e vai atender as reais possibilidades das partes."

Como parte da cerimônia, a JSC "Rusatom Overseas" e a empresa de energia Nucleoeléctrica Argentina também assinaram o acordo. O documento define o âmbito da cooperação, direitos e obrigações financeiras das partes e outros termos de interação durante o desenvolvimento do projeto de construção da usina nuclear com tecnologias russas na Argentina.
Na última quarta-feira, durante visita oficial da presidente Cristina Kirchner à Rússia, a empresa de combustível da Rosatom, TVEL, assinou dois memorandos de entendimento com a Comissão Nacional de Energia Atômica da Argentina e a estatal argentina INVAP para cooperação ampla e iniciativas conjuntas no setor de energia nuclear. Os acordos incluem o fornecimento e combustível de urânio com baixo enriquecimento e seus componentes para reatores e pesquisa na Argentina e o desenvolvimento de projetos de pesquisa conjuntos.