Rio Grande do Norte atinge marca de 2 GW instalados

Estado possui 1.133 turbinas eólicas espalhadas em 75 usinas

O estado do Rio Grande do Norte ultrapassou, na última quinta-feira, 16 de abril, a marca de 2 GW de potência eólica instalada em seu território. A marca foi atingida com a entrada em operação comercial de 18 unidades geradoras, somando 29,16 MW, do parque eólico Morro dos Ventos II, da CPFL Renováveis, na cidade de João Câmara. Com isso, o estado chega a uma potência instalada de 2.020,157 MW. São 1.133 turbinas distribuídas por 75 usinas eólicas em todo o Estado. O fato ocorre menos de um ano depois da quebra da barreira de 1 GW, em maio de 2014 e apenas três anos após o Brasil ter atingido a mesma marca, em 2012.

Segundo o diretor de energia eólica do Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia, Milton Pinto, o estado tem a maior matriz eólica estadual do Brasil e reforça que atualmente 80% da energia consumida no Rio Grande do Norte vem de fontes eólicas.
 
O valor de 2,02 GW produzidos no RN supera vários países europeus como Grécia, Bélgica e Noruega, se equiparando aproximadamente a Irlanda e Áustria. Sozinho, o RN supera também o montante de potência instalada de todos os países da América do Sul juntos, com exceção do Brasil. Atualmente, a capacidade eólica nacional instalada é de 5.841 MW, de acordo com dados da Aneel.

Para o presidente do Cerne e do Sindicato das Empresas do Setor Energético do RN, Jean-Paul Prates, a quebra do recorde é resultado do longo trabalho que vem sendo feito há quase uma década e que comprova o imenso potencial do estado. Ainda de acordo com ele, o Rio Grande do Norte voltou a aparecer em primeiro lugar em projetos habilitados para o leilão que será realizado no próximo dia 27 de abril e deve continuar a manter a liderança nos próximos anos.