Energisa integra operação de suas distribuidoras no Sul e Sudeste

Fusão de cinco concessões passam a formar a Energisa Sul-Sudeste

O Grupo Energisa unificou em uma única empresa os processos e operações das suas cinco concessões de distribuição nas regiões Sul e Sudeste do país. Com a mudança, a Energisa Caiuá, Energisa Bragantina, Energisa Vale Paranapanema, Energisa Nacional e Energisa Força e Luz do Oeste passam a se chamar Energisa Sul-Sudeste (ESS).

Após a integração, a ESS irá atender 756 mil clientes em 82 municípios, em uma área de cobertura de pouco mais de 30 mil km². A empresa vai operar com 1,4 mil colaboradores, número total de todos os profissionais que hoje já compõem cada uma das distribuidoras.

O objetivo da fusão, que foi aprovado pela Aneel, é obter sinergia nos processos no intuito de melhorar os serviços prestados aos consumidores por meio da integração dos sistemas utilizados, como explica o diretor presidente das empresas, Gabriel Alves Pereira Junior. “O agrupamento das concessões representa a conclusão de um ciclo de mudanças que começou com a aquisição das distribuidoras, em 2014. As alterações, que incluíram mudanças de marca, nomes, procedimentos e estrutura organizacional, tem agora um novo desdobramento com a unificação dos processos, dos sistemas de TI e das empresas que compõem a ESS”.

Para o consumidor, haverá algumas mudanças, como por exemplo na fatura da conta de luz, que ganhará um novo layout, facilitando a leitura dos dados e transparência das informações; a identificação das Unidades de Consumo (UC) terá o acréscimo de um número inicial, que corresponde ao código da distribuidora no Grupo Energisa e um dígito verificador final. Outra alteração é quanto ao atendimento via telefone, que passará a ser feito pelo número 0800 70 10 326, que atualmente atende à Energisa Caiuá, mas valerá para os demais clientes.

Outro ponto a ressaltar é que as atuais sedes de cada uma das empresas continuarão funcionando normalmente onde já existem. “Não haverá mudanças de estruturas físicas entre as distribuidoras. O consumidor pode ficar tranquilo. As empresas manterão normalmente suas operações e serviços em cada uma das cidades, sem qualquer prejuízo ao cliente. Nosso objetivo, ao contrário, é melhorar o atendimento e tornar os serviços e processos mais ágeis”, reforça o executivo.

O diretor presidente da ESS explica que mudança colocará em prática o modelo de operação que hoje já se busca no dia a dia das empresas. “Nós já pensamos e planejamos as operações destas distribuidoras como uma empresa única, mas os processos ainda são realizados de forma separada. O agrupamento colocará em prática esse modelo e nos proporcionará ganhos relevantes, como centralização de todas as informações em uma só empresa. Nossos processos serão mais ágeis, conquistaremos muito com essa mudança”, finaliza Gabriel.