Consumo do Grupo Energisa cresce 2,8% nos nove primeiros meses de 2017

Distribuidoras do Centro-Oeste impulsionaram os crescimentos da demanda frente ao mesmo período do ano passado

O consumo de energia elétrica das nove distribuidoras que integram o Grupo Energisa, considerando os mercados cativo e livre, cresceu 2,8% nos nove primeiros meses de 2017 em relação ao mesmo período do ano passado, chegando a 21.959 GWh. Considerando o fornecimento não faturado, o volume ficou em 21.874 GWh, o que significa um aumento de 3,6% no ano até setembro. As informações foram divulgadas pela holding nesta terça-feira, 24 de setembro.

A demanda no mercado cativo totalizou 18.405 GWh entre janeiro e setembro, equivalente a uma retração de 1,2% se comparado ao faturado nos mesmos meses de 2016. Essa queda decorreu, em parte, das migrações de clientes para o mercado livre, que registrou no conjunto dos três trimestres do ano uma expansão de 30,5% frente ao consumo do ano anterior. Fruto disso, o consumo do segmento industrial no mercado do Grupo Energisa caiu 24,2% até setembro.

Em contrapartida, a classe residencial, que responde pela maior parcela de consumidores das concessionárias da holding, apresentou um salto de 3,1% na demanda de eletricidade nos nove meses findos em setembro, enquanto o segmento rural – terceiro de maior peso na estrutura de mercado do Grupo – cresceu 5,4% no período. O setor comercial, segundo em tamanho para a Energisa, apresentou uma redução de 1,9% na demanda nos nove primeiros meses de 2017.

As duas distribuidoras da região Centro-Oeste, Energisa MT e Energisa MS, apresentaram as maiores taxas de crescimento no consumo no agregado dos nove primeiros meses do ano, ambas com alta de 4,8%. No corte mensal, comparado a setembro de 2016, o consumo cativo e livre em todo o Grupo apresentou aumento de 6,5%. O maior responsável pelo desempenho foi a classe residencial que cresceu 8,1%, especialmente em decorrência da alta das temperaturas.