Petrobras tem lucro líquido acumulado de R$ 5 bilhões no ano

No terceiro trimestre, a empresa lucrou R$ 266 milhões. Área de Gás e Energia teve um lucro líquido de R$ 6,208 bilhões no acumulado do ano

A Petrobras registrou lucro líquido acumulado nos nove primeiros meses do ano de R$ 5,031 bilhões, revertendo prejuízo de R$ 17,334 bilhões. No terceiro trimestre, o lucro ficou em R$ 266 milhões, ante prejuízo de R$ 16,458 bilhões em igual período anterior. Segundo a empresa, o melhor resultado do ano reflete maiores exportações líquidas de petróleo e derivados, a preços mais elevados; menores margens e volume de vendas de derivados no Brasil; menores gastos com pessoal e com baixas de poços secos e/ou subcomerciais; ganho com a venda da NTS; e redução do impairment dos ativos. Houve, por outro lado, maiores gastos com adesão a programas de regularização de débitos federais.

O ebtida ajustado de janeiro a setembro ficou estável em R$ 63,571 bilhões, evidenciando que a redução nas despesas operacionais e o aumento das exportações compensaram a queda das margens de derivados. A margem ebtida ajustado foi de 31%. No terceiro trimestre, o ebtida ajustado ficou em R$ 19,223 bilhões, ante R$ 22,262 bilhões no mesmo período anterior. No ano, o fluxo de caixa livre atingiu R$ 37,456 bilhões, 26% acima do registrado no mesmo período do ano anterior. De acordo com a Petrobras, esse resultado reflete a estabilidade da geração operacional e a redução de investimentos.

O endividamento bruto da companhia está em R$ 359,412 bilhões, 7% menos que no final do ano passado. A dívida líquida caiu 11% na mesma comparação para R$ 279,237 bilhões. Os investimentos totais recuaram 19% este ano para R$ 33,429 bilhões. Em Gás e Energia, contudo, os investimentos tiveram forte alta de 207% para R$ 3,028 bilhões.

A área de Gás e Energia teve um lucro líquido de R$ 6,208 bilhões no acumulado do ano, com alta de 408% sobre o resultado registrado em 2016. No terceiro trimestre, a área lucrou R$ 665 milhões, revertendo prejuízo de R$ 63 milhões registrado no ano passado. O aumento de venda de gás natural, aliado a maior participação da oferta nacional e melhores margem, contribuiu para o resultado. Também influenciaram a venda da NTS e as menores despesas com impairment.