Produção da 14ª recarga de Angra 2 bate recorde histórico de 126 dias

INB vai entregar a recarga à Eletronuclear a partir de dezembro

A INB alcançou uma marca histórica ao realizar a produção da 14ª recarga da usina nuclear Angra 2, em apenas 126 dias. O tempo recorde é consideravelmente menor se comparado aos 150 dias utilizados em produções anteriores. Com esta etapa finalizada, a empresa irá iniciar ainda este ano a entrega da recarga à Eletronuclear, a partir de dezembro.

A recarga é um processo de reabastecimento de uma usina nuclear por meio da substituição de elementos combustíveis descarregados por novos. Estes elementos são estruturas metálicas, com até 5 metros de altura, formadas por um conjunto de tubos, chamados de varetas, que recebem as pastilhas de urânio enriquecido. Para ilustrar, é possível comparar figurativamente à troca de pilhas descarregadas de uma lanterna. A produção da recarga de Angra 2 utilizou cerca 27 toneladas de urânio enriquecido na composição dos 52 elementos combustíveis presentes no processo.

A empresa informou que pretende alcançar a expressiva marca de produzir as recargas de Angra 1, 2 e 3 dentro do período de um ano. A próxima recarga, a 24ª de Angra 1, está prevista para o início de 2018. A meta é concluir esta produção em apenas 110 dias, o que irá configurar um novo recorde.

Além da produção das recargas, a INB atua em todo o chamado “ciclo do combustível nuclear”, que inclui a mineração, beneficiamento e enriquecimento do urânio e finalmente a fabricação de pastilhas e do combustível.