ABB faz reestruturação nas suas divisões de negócios

Fornecedora faz joint veinture com SNC-Lavalin para divisão de Power Grids

A ABB anunciou ações para as três divisões com o objetivo de completar a mudança do modelo de negócio de engenharia, aquisição e construção, que encerra o seu ano de transição de 2017. De acordo com o CFO da ABB, Timo Ihamuotila, a empresa está implantando ações decisivas para a conclusão da mudança de modelo de negócio de EPC. Segundo ele, as ações estão em linha com a estratégia de fortalecimento da competitividade, maior crescimento e menor risco.

Na divisão de Power Grids, a ABB fechou um acordo para a formação de joint venture com a SNC-Lavalin para os projetos de EPC de subestações, na qual a SNC-Lavalin será majoritária e controladora. A nova entidade unirá a liderança em tecnologia de energia da ABB com a experiência em projetos da SNC-Lavalin. Essas ações complementam o programa “Power Up” em andamento e, como parte dele, a ABB começou a mudar seu foco para soluções e ofertas baseadas em serviços para o cliente.

O atual negócio de EPC de petróleo e gás da ABB será transferido para a joint venture, na qual a Arkad será majoritária e controladora. A nova empresa, Arkad-ABB, vai dar uma gama completa de serviços integrados de EPC para instalações de petróleo e gás.  Na divisão de Robotics and Motion, a ABB decidiu encerrar seu negócio de reformas de trens, após ter cumprido os compromissos contratuais atuais. No entanto, a Robotics and Motion continuará exercendo seu papel de forte parceria do setor ferroviário.

Os resultados do quarto trimestre de 2017 de Power Grids e de Robotics and Motion deverão ser impactados em aproximadamente US$ 75 milhões do Ebita operacional. A transferência do negócio de EPC de petróleo e gás para a joint venture com a Arkad deverá resultar em encargos não operacionais sobre o lucro líquido antes de impostos no valor de aproximadamente US$ 75 milhões.