Executivos das distribuidoras discutem investimentos no MME

Empresas estão preocupadas com a proposta da Aneel que reduz a taxa de retorno de 8,09% para 7,71%

Às vésperas da votação pela Agência Nacional de Energia Elétrica da proposta que pode reduzir a taxa de retorno das distribuidoras, executivos do chamado “G7”, – formado por Neoenergia, Energisa, EDP, Equatorial Energia, CPFL Energia, Enel Brasil e AES Eletropaulo – participaram na manhã desta segunda-feira, 5 de março, de reunião com o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho,   para  tratar de investimentos das empresas. A Aneel propôs em audiência pública aberta em novembro do ano passado rever o valor do Wacc (custo médio ponderado de capital) de 8,09% para 7,71%.

A proposta tem mobilizado as distribuidoras, que alertam para os impactos negativos da medida da agência sobre os investimentos, no momento que elas precisam  garantir a modernização da rede para cumprir metas estabelecidas nos contratos de concessão para os próximos anos.

Segundo a Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica,  a alteração prejudica as concessionárias que investiram com a expectativa de ter um valor maior do Wacc.  O processo será votado pela Aneel nesta terça-feira, 6 de março. Os representantes das sete companhias deixaram o MME sem falar com a imprensa.