Tarifa da Energisa MT terá aumento médio de 11,53%

Para os consumidores em alta tensão o impacto médio é de 5,94%. Para os clientes atendidos em baixa tensão, o efeito médio é de 13,98%

A Energisa Mato Grosso foi autorizada pela Agência Nacional de Energia Elétrica a aplicar aumento médio de 11,53%, com efeito médio de 5,94% para os consumidores atendidos em alta tensão e de 13,98% para os clientes do segmento de baixa tensão. Os novos índices resultantes da revisão tarifária da distribuidora serão aplicadas a partir de 8 de abril.

Como acontece nos processos de revisão, a Parcela B (custos operacionais e remuneração) da tarifa teve maior peso no processo tarifário, com 7,33%. O destaque foi a  remuneração de ativos, com 5,46%. Já a parcela A, que inclui encargos setoriais e custo da energia, teve impacto de 1,13% no índice de reposicionamento tarifário.

A Aneel reconheceu na tarifa índice de perdas técnicas de 10,04% sobre a energia injetada na rede da distribuidora. Para as perdas comerciais sobre o mercado de baixa tensão, a trajetória considerada para os próximos anos parte de 7,11% e encerra o ciclo tarifário em 6,74%.

A agência  também aprovou os limites dos indicadores de qualidade DEC e FEC, que medem a duração e a frequência das interrupções no fornecimento de energia na área de atuação da empresa para o período de 2019 a 2023. A Energisa MT atende 1,3 milhão de unidades consumidoras no estado de Mato Grosso.