Fitch atribui rating à emissão de debêntures da Eletropaulo

Montante é de R$ 3 bilhões, com pagamento em três séries e vencimento final até 2025

A agência de classificação de risco Fitch Ratings atribuiu o Rating Nacional de Longo Prazo ‘AAA(bra)’ à proposta de 23ª emissão de debêntures da Eletropaulo, no valor de até R$ 3 bilhões, a ser realizada em até três séries, com vencimento final para 2025. A distribuidora paulista é classificada atualmente com IDRs de Longo Prazo em Moedas Estrangeira e Local ‘BB+’ e ‘BBB-’ respectivamente, e com Rating Nacional de Longo Prazo ‘AAA(bra)’, todos com Perspectiva Estável.

A avaliação da Fitch aponta o robusto perfil de crédito da empresa após a conclusão da compra de seu controle acionário pela Enel Brasil, que detém atualmente 93,3% de seu capital total. A agência considera fortes os vínculos estratégicos, financeiros e legais entre a concessionária (como parte da Enel Brasil) e a Enel Americas, de acordo com a metodologia Parent and Subsidiary Rating Linkage (PSL). Os ratings também consideram o moderado risco regulatório do setor brasileiro de energia elétrica e o risco hidrológico, atualmente acima da média histórica.

Em bases combinadas, a classificação indica que o grupo Enel Brasil conseguirá administrar seu fluxo de caixa livre (FCF) — que, segundo as projeções da agência, deve continuar negativo até 2020 —, devido à adequada posição de liquidez e à comprovada flexibilidade financeira do grupo, beneficiadas pelo suporte financeiro do controlador.

A agência projeta que o grupo manterá alavancagem consolidada bruta e líquida em patamares conservadores, com os índices limitados a aproximadamente 3,5 vezes e 3,0 vezes, respectivamente, no final de 2018 — compatíveis com a categoria ‘BBB’ do setor. Este cenário incorpora suporte da Enel Americas para pagamento de 50% do empréstimo-ponte contraído para a compra da Eletropaulo. Desconsiderando este suporte, a alavancagem líquida consolidada da Enel Brasil, em bases pro forma, atingiria 3,9 vezes no final de 2018. Em bases individuais, a alavancagem financeira líquida da Eletropaulo era de 3,2 vezes no período de 12 meses encerrado em junho de 2018.

Na análise individual da agência, a Eletropaulo reportou, no período de 12 meses encerrado em junho de 2018, EBITDA de R$ 965 milhões, abaixo do nível regulatório de R$ 1,2 bilhão definido na última revisão tarifária, de 2015. Essa diferença decorre das despesas com fundo de pensão, redução no mercado de consumo na sua área de concessão de 2015 a 2017, em virtude da crise econômica, e penalidades decorrentes dos indicadores de qualidade de serviço abaixo das metas regulatórias. A expectativa de continuidade no aumento dos investimentos é considerada positiva para aumentar a eficiência e melhorar os serviços.