Aneel restringe distribuição de dividendos da Enel GO por problemas de qualidade

Situação da distribuidora está sendo acompanhada pela agencia e pelo MME

A Agência Nacional de Energia Elétrica restringiu a distribuição de dividendos da Enel Distribuição Goiás por descumprimento dos indicadores de qualidade, aplicando regra prevista no contrato de concessão. Em nota à imprensa, a Aneel informou que a distribuidora pagou mais de R$ 126 milhões aos consumidores em 2017 e 2018, como compensação pela ultrapassagem desses indicadores.

A diretoria da agência participa de audiência pública na manhã desta quinta-feira, 14, na Federação das Indústrias de Goiás, para debater a qualidade do serviço da empresa, além das medidas de acompanhamento adotadas pela fiscalização. A Aneel anunciou que vai se reunir em Brasília com a presidência do grupo “para discutir medidas emergenciais para melhoria da qualidade do serviço prestado.”

O Ministério de Minas e Energia também informou que tem acompanhado a situação da empresa. Representantes do MME participaram na quarta-feira, 13, de  reunião com o Ministério da Economia, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, para tratar dos problemas na prestação do serviço no estado. Privatizada em novembro de 2016, a Enel atende 3 milhões de unidades consumidoras em 237 municípios goianos.

Segundo nota da assessoria do ministério, o MME também tratou do assunto ontem com a Aneel,  para avaliar as providências imediatas que a agência pretende adotar. A Enel Goias está no grupo de empresas incluídas no Plano de Resultados da autarquia, pela posição ocupada no ranking de qualidade. O plano prevê ações de melhoria dos indicadores.