Semana termina com CMO horário oscilando 7% no sudeste

Nordeste e norte apresentaram a mesma variação diária, com 6,76%

O último dia desta semana operativa apresentou CMO na base semi horária com variação equivalente ao dia anterior. Segundo dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico, responsável pelo cálculo via modelo Dessem, o submercado sudeste/centro oeste está com a oscilação mais elevada, 7,01%. O valor mais baixo ficou estabelecido em R$ 334,80 e o mais alto em R$ 358,28/MWh, a média no dia ficou em R$ 346,07/MWh.
Nos demais submercados o valor mínimo ficou praticamente equiparado em R$ 338,58/MWh apenas no sul ficou R$ 0,01 mais elevado. Com isso a variação intraday apresentou índices bem próximos, sendo 6,76% no norte e no nordeste e de 6,75% no sul. O valor mais elevado está equacionado em R$ 361,46/MWh. A média ficou em R$ 349,14 no norte, R$ 349,17/no nordeste e em R$ 349,31/MWh no sul.
O ONS passou a aplicar o modelo Dessem a partir de janeiro deste ano para fins de operação apenas. No âmbito comercial o modelo passará a vigorar na Câmara de Comercialização de Energia Elétrica em janeiro de 2021. Até lá continua a ser utilizado o PLD na base semanal por patamar de carga. Para esta semana operativa que se encerra nesta sexta-feira, 24 de janeiro, os valores ficaram equacionados em todos os submercados do país à média de R$ 355,42/MWh, reflexo da carga pesada a R$ 362,03/MWh, a média a R$ 356,87/MWh e a leve a R$ 351,38/MWh. Nesta semana o valor médio subiu 32% ante a semana passada.