Fotovoltaica de R$ 5 milhões é instalada para GD em Brasília

Empreendimento de 1,1 MWp beneficiará rede de drogarias que usará a energia solar para reduzir custos com eletricidade em mais de 60 lojas

Orçada em R$ 5 milhões, a usina fotovoltaica Elzi Portela, com 1,1 MWp, foi instalada nessa semana em Brasília (DF) e deve entrar em operação nos próximos dias para abastecer mais de 60 lojas da rede de farmácias Drogafuji, dentro do mecanismo de geração distribuída, com a produção sendo descontadas das faturas da CEB, distribuidora local. Este é o terceiro projeto construído desde o ano passado pela FazSol Energias Renováveis, uma parceria entre as empresas Espaço Y Engenharia e a Shizen Energia do Brasil.

A planta ocupa uma área de aproximadamente 12.000 m² e possui uma capacidade instalada de 1,102 MWp, capaz de gerar volume de energia aproximado de 140.000 kWh por mês. Com o uso da fonte renovável, a Drogafuji estima que terá uma economia superior a 15% nos gastos com a conta de luz. Segundo o proprietário da Rede, Sr. Antônio Fernandes de Sousa Filho, os custos da empresa com energia elétrica chegam a 2% de todo o faturamento das farmácias.

O empreendimento parte de um modelo de negócio em que todo o aporte relacionado ao projeto, incluindo seu desenvolvimento, financiamento, implementação, manutenção e operação fica por conta da detentora do projeto. O sistema é alugado aos clientes, e o aluguel só é cobrado quando o ativo já está trazendo os benefícios prometidos aos contratantes e previsto pela Resolução Normativa 482/2012 da Aneel.

“Financiamos, construímos e operamos a matriz geradora. A empresa contratante não precisa desembolsar nada, obtém uma significativa redução de custos com energia elétrica, e tudo isso sem realizar os investimentos necessários para implantação da usina”, resume Nélio Pereira, Diretor da FazSol Energias Renováveis.

O executivo também destaca outros pontos positivos, como a imunização ao impacto financeiro de eventuais bandeiras tarifárias, reajuste das concessionárias, e o fato de não se precisar adquirir know-how para desenvolver, construir e operar uma usina fotovoltaica. “Fica tudo sob nossa responsabilidade”, conclui.