Projeto prevê digitalização das inspeções visuais da Neoenergia

Empresa vencedora de desafio global da Iberdrola usará sensoriamento remoto, câmera 360° e sensor a laser acoplados ao veículo que irá vistoriar cabeamento de linhas e pontos de iluminação pública no Pernambuco

A empresa brasileira Concert Technologies irá desenvolver um projeto-piloto para detectar e validar de forma autônoma os pontos de iluminação pública e cabeamento não registrados na base de dados da Neoenergia. A companhia foi a grande vencedora do Start-up Challenge do grupo Iberdrola, e terá todo o processo financiado, além de apoio técnico para testar a solução nas instalações das concessionárias da empresa no Brasil.

O programa global da Iberdrola, que avalia a iluminação pública representando 15% da energia cujas perdas podem ser reduzidas no Brasil, contou com quase 50 propostas vindas de 17 países em 4 continentes e objetiva atualizar as informações de forma periódica e rápida, visando tornar mais eficiente a manutenção da infraestrutura, além de reduzir as perdas de energia na rede.

De acordo com a Neoenergia, a plataforma Imagery concorreu com outras 48 no certame e será desenvolvida para transformar digitalmente as atividades de inspeção visual da rede de distribuição e das linhas de transmissão, por meio de tecnologias como sensoriamento remoto, além de uma câmera 360° e sensor laser LiDAR acoplados ao veículo que fará a inspeção em campo, inicialmente nas cidades pernambucanas de Paulista e Moreno, com previsão de conclusão em seis meses.

“Enquanto a câmera registra as imagens como as captadas pelo olho humano o sensor faz o mapeamento por nuvens de pontos, o que garante uma maior precisão no processamento dos dados. Com isso vamos comparar os dois formatos e identificar o mais eficiente”, explica o líder de vendas da Concert, Felipe Sant’Anna.

Após a coleta realizada em campo, a ferramenta processa as imagens através de algoritmos de inteligência artificial que identificam os objetos e os classificam, extraindo informações como a potência e tipo da lâmpada, assim como os pontos de uso mútuo, indicando quantidade e empresas proprietárias.

Uma vez que os objetos de interesse estejam catalogados, um outro algoritmo é aplicado para intersecção fotogramétrica, determinando assim a localização. Na última etapa esses objetos são confrontados com a base de dados da companhia, permitindo a identificação de inconsistências cadastrais.

O diretor de Serviços ao Cliente da Neoenergia, Luiz Flávio Xavier de Sá, relata que em alguns casos são instalados novos pontos de iluminação que não estão registrados nas bases de dados de manutenção da empresa, além de ocorrerem inconsistências em relação as já instaladas, como quantidade e tipo de lâmpadas e até mesmo luminárias que permanecem ligadas fora do horário padrão.

Luiz também ressalta que a tecnologia apresenta soluções para casos de uso mútuo, situações em que a estrutura da rede de energia é compartilhada com cabos de telefonia e TV por assinatura, sendo possível localizar a presença quando não consta na base de dados ou se está acima do registrado. Além disso, o sistema também possibilitará a visualização de árvores que podem potencialmente tocar a fiação, situação que ocasiona danos ao fornecimento energético.