Neoenergia abre CP para projetos de eficiência energética

Companhia lança edital de R$ 41,4 milhões para suas quatro distribuidoras

A Neoenergia abriu na última terça-feira, 3 de novembro, as chamadas públicas para selecionar projetos de eficiência energética nas distribuidoras da companhia – Coelba (BA), Celpe (PE), Cosern (RN) e Elektro (SP/MS), disponibilizando R$ 41,4 milhões para as ações conforme os critérios estabelecidos nos editais. As regras cumprem as determinações do Programa de Eficiência Energética (PEE), regulado pela Aneel, e as propostas serão aceitas até o dia 13 de janeiro de 2021.

Poderão se inscrever todos os consumidores do poder público, comércio e serviços, serviço público, iluminação pública e industrial, que estejam em dia com as concessionárias. Os projetos que tiverem como beneficiárias instituições sem fins lucrativos – incluindo unidades do poder público e de caráter filantrópico ou assistencial – serão realizados mediante termo de cooperação e os demais serão executados através de contrato de desempenho.

As iniciativas selecionadas poderão ser executadas ao longo do próximo ano, passando por melhorias de instalação e geração de energia solar fotovoltaica, sendo R$ 7 milhões em recursos para os setor industrial baiano, R$ 500 mil para serviços públicos e R$ 1 milhão para comércio e serviços. O restante será para melhoria da instalação de condomínios (R$ 2 milhões), prédios do poder público (R$ 1,5 milhão) e iluminação pública (R$ 1 milhão). Os projetos deverão ter aporte mínimo do Programa de Eficiência Energética de R$ 200 mil.

As mesmas tipologias estão previstas no edital da Celpe, com investimentos de até R$ 5,2 milhões em industrial; R$ 1,2 milhão em serviços públicos; e R$ 1 milhão em comércio e serviços, para melhoria da instalação e energia solar. Na Cosern, os valores para projetos nas mesmas áreas são de R$ 1,5 milhão para industrial, R$ 500 mil para comércio e serviços, R$ 1 milhão para condomínios e R$ 1 milhão para prédios do poder público. A tipologia industrial na Elektro terá R$ 7 milhões; condomínios terão R$ 2 milhões; comércio e serviços, R$ 1 milhão, e serviços públicos, R$ 500 mil.