Energisa vence a disputa pelo lote 11 e fecha o leilão

Empresa ficou com os ativos que a Amazonas GT não teve interesse em renovar contrato

O último lote do leilão de transmissão foi arrematado pela Energisa. A empresa apresentou lance de R$ 63.000.000,00 para ficar com a concessão de ativos existentes em serviço designado à Amazonas GT ainda em 2016, por esta companhia não ter interesse na renovação do contrato.

O deságio foi de 47,37% ante a RAP de R$ 119.712.580,00, depois de intensa disputa no viva voz com 17 lances.  O investimento necessário para a concessão no Amazonas é da ordem de R$ 882,2 milhões que serão aplicados entre outros em novas linhas e subestações. Formam o lote:

– Revitalização das subestações em 230 kV Manaus, Cristiano Rocha e Lechuga (setor designado à
AmGT);
– Substituição da SE Balbina 230kV em arranjo disjuntor e meio por outra SE nova 230kV em arranjo
barra dupla 4 chaves;
– Substituição do pátio de 69kV em arranjo anel da SE Manaus por outro pátio novo de 69kV em
arranjo BD4 e,
– Empreendimentos novos:
– LT 230 kV Lechuga – Tarumã, CD, C1 e C2, com 12,2 km (trechos aéreos e subterrâneos);
– SE 230/138 kV Tarumã – (6+1Res) x 100 MVA;
– SE 230/69 kV Presidente Figueiredo – 2 x 50 MVA;
– Trechos de LT em 230 kV entre a SE Presidente Figueiredo e os pontos de seccionamento da LT
Balbina – Cristiano Rocha, C1, com 2 x 4,5 km.

Assim, termina o único leilão de transmissão que a Aneel realiza em 2020.