Copel investe em P&D que atua no tratamento dos dados para O&M

Com investimento de R$ 5 milhões, projetos buscam novas metodologias para aumentar eficiências de geradores e aperfeiçoamento de sistemas elétricos d grande porte

A Copel (PR) deu início este mês a dois novos projetos de Pesquisa e Desenvolvimento que somam mais de R$ 5 milhões em investimentos e vão transformar o modo como são tratados os dados gerados nos processos de operação e manutenção de usinas e redes de transmissão de energia.

Um deles propõe uma metodologia inovadora para auxiliar na tomada de decisão e suporte às políticas de gestão de ativos aplicada a hidrogeradores. O objetivo é buscar novas formas de aumentar a eficiência dos geradores de energia e reduzir perdas e desperdícios ao longo do ciclo de vida dos equipamentos. Isso será feito por meio de um software que integrará parâmetros operacionais do hidrogerador em tempo real, além de dados históricos da manutenção e da operação.

A gerente do projeto na Copel, Gisele Maria de Oliveira Salles, explica que os dados alimentarão modelos matemáticos que vão permitir uma avaliação antecipada da confiabilidade, disponibilidade e das condições operacionais e de desgaste dos componentes do hidrogerador. O software, com a nova metodologia incorporada, vai subsidiar a tomada de decisão relacionada à estratégia de gestão dos ativos de geração, embasados em conceitos de confiabilidade e risco que consideram requisitos da Aneel, do ONS e da norma ABNT NBR ISO 55000/2014. Todo o trabalho será desenvolvido em parceria com a UTFPR e a USP e o cronograma prevê 36 meses de execução.

A outra iniciativa recém-lançada pela Copel tem a UFPR e o Instituto Gnarus como parceiros e mira no desenvolvimento de uma solução inovadora para aperfeiçoar o processo de controle de Sistemas Elétricos de Grande Porte, compatibilizando os dados disponibilizados pelos sistemas computacionais de operação em uso na empresa atualmente: o PMU (Phasor Measurements Units), o sistema Scada (Supervisory Control And Data Acquisition) e o EMS (Enterprise Management System), a partir do uso de inteligência artificial, Data Analytics e de Machine Learning.

Esse projeto de P&D tem prazo de execução de 24 meses e iniciou com um abrangente mapeamento e caracterização dos sistemas computacionais PMU, Scada e EMS, bem como uma revisão sistemática dos avanços científicos e tecnológicos na área. Depois, a equipe seguirá com o desenvolvimento de uma ferramenta computacional para integração e análise dos dados, baseada em técnicas de inteligência artificial e Data Analytics, que permitirá a extração de regras de controle do sistema elétrico de potência de forma automática para auxiliar o operador em situações críticas de contingência. Para o gerente do projeto na Copel, Ricardo Rodrigues de Almeida, a solução vai contribuir de forma significativa para melhoria dos processos de operação de geração e transmissão e, consequentemente, para a qualidade do fornecimento de energia elétrica