Bolsonaro inclui privatização da Eletrobras em mensagem ao Congresso

Mensagem também prevê desestatização da Nuclep

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) incluiu a privatização da Eletrobras na mensagem de prioridades legislativas ao Congresso Nacional, divulgada nesta quarta-feira, 3 de fevereiro, no parlamento. A cerimônia também contou com a presença do presidente do Supremo Tribunal Federal, Luís Fux, e dos presidentes da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

Na mensagem ao Congresso que trata do Programa de Parcerias e Investimentos, a intenção é que até 2022 a Eletrobras seja desestatizada, assim como a Nuclep. A mensagem cita ainda a realização de três leilões de geração e dois de leilões de transmissão, além da obtenção de licenças ambientais para quatro UHEs. No documento, o governo explica que a política de desestatização tem como preocupação identificar chances de assegurar a adequada prestação de serviços públicos por agentes privados, desonerando o Estado de aportes de recursos públicos. De acordo com a mensagem de Bolsonaro, a privatização da Eletrobras está inserida nesse contexto e é peça fundamental para implementação do programa de modernização do setor elétrico.