Ações da Eletrobras disparam 13% à espera de MP da privatização

Ações da elétrica iniciaram o dia em alta que se acentuou durante o dia ao passo que rumores de que governo apresentaria projeto ao Congresso Nacional ganhavam força

Um dia após as turbulências da segunda-feira, 22, o Índice de Energia Elétrica na B3 (IEE) encerrou esta terça-feira, 23 de fevereiro em alta de 1,48% a 77.339 pontos. O indicador foi puxado pela disparada das ações ON da Eletrobras (ELET3) que tiveram a maior alta do dia de toda a bolsa com elevação de 13,01%, fechando o dia a R$ 32,67, as preferenciais de classe B (ELET6) apresentaram a terceira maior alta com valorização de 10,81%, valendo R$ 32,40.

Esse movimento ganhou força depois que o governo confirmou que enviaria ainda hoje ao Congresso Nacional uma Medida Provisória para a privatização da Eletrobras. Essa alternativa não era uma novidade em si. O próprio ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque afirmou que esta era uma das possibilidades em estudo e que se confirmou.

Das 18 ações que compõem o IEE, apenas quatro recuaram, em um dia bem diferente quando comparado a segunda-feira quando todos estavam no campo negativo. A segunda maior alta ficou com a Cteep que avançou 6,12%, a R$ 25,95.
O Ibovespa, principal índice de ações na B3, refletiu esse movimento das ações e encerrou o pregão desta terça-feira, 23 de fevereiro, em alta de 2,27%, a 115.227 pontos. Foram justamente a Eletrobras e a Petrobras que tiveram as quatro maiores valorizações do dia entre as ações que compõem a carteira.

Além dos índices já apontados da elétrica os papeis preferenciais (PETR4) subiram 12,17%, cotados a R$ 24,06 e os ordinários (PETR3) recuperaram parte das perdas de ontem com alta de 8,96% a R$ 23,48.