Tarifas da Light terão aumento de 6,75% em média

Reajuste aprovado pela Aneel teve impacto da compra de energia, do custo de transmissão e dos encargos setoriais

A Agência Nacional de Energia Elétrica aprovou o reajuste tarifário anual da Light, que foi autorizada a aplicar aumento médio de 6,75% a partir de 15 de março. O efeito médio a ser percebido pelos consumidores da distribuidora será de 11,83% na alta tensão e de 4,77% para os que são atendidos em baixa tensão.

Contribuíram para o resultado o custo de compra de energia, com participação de 7,77%; o transporte, com 5,15%; e os encargos setoriais, com 3,72%. A pedido da Light, foram usados R$ 374 milhões em créditos tributários de PIS e Cofins para abater na tarifa, com redução de 3,46%.

Ainda assim a companhia ocupa a terceira posição no ranking das tarifas mais caras do país. A distribuidora atende em torno de 3,9 milhões de unidades consumidoras no Rio de Janeiro, incluída a capital, e tem faturamento anual da ordem de R$ 10,8 bilhões.